Parabéns Professores do Brasil

Queridos professores e professora:





Sabemos da dificuldade que é para você levantar cedo ou trabalhar até tarde todos os dias para nos ensinar e nos preparar para um futuro melhor, tanto profissionalmente quanto na vida pessoal.

Sabemos que em muitos lugares vocês enfrentam dificuldades com a falta de estrutura, falta de materiais de educação, falta de saneamento básico, falta de alimentação adequada para seus alunos e falta de dignidade para que possam exercer sua profissão.

Sabemos que não é fácil tolerar alunos sem respeito para com a sua missão, tolerar pais irresponsáveis e omissos, tolerar falta de condições de trabalho e respeito aos seus honorários, assim como tolerar tantas outras adversidades que surgem no seu dia a dia, que certamente seriam suficientes para que qualquer outra pessoa que não amasse a profissão de professor desistisse logo no primeiro obstáculo.

Mas vocês, professores e professoras, são guerreiros, determinados e altivos. Correm atrás dos seus sonhos e ajudam os outros a conquistarem o seus. Se fossemos defini-los em uma palavra, acreditamos que a mais correta de todas seria: ALTRUÍSTA. 

Essa definição se dá pelo simples fato de perceber que muitos que atuam em sua profissão dedicam além de si, se esforçam para transformar o outro em alguém melhor, mesmo que este outro comece a estudar aos 2, 7, 15, 30, 40 ou 70 anos. A idade é um detalhe apenas.

Para um professor, como exemplo, os que ensinam a alfabetização, não há recompensa maior do que ver o aluno ler o seu nome pela primeira vez. Imaginamos que deva ser emocionante mesmo, como um nascimento. Nascimento este do despertar da consciência.

Parabéns para todos os profissionais de pedagogia, de ensino infantil, médio, fundamental, universitário, técnico e cursos livres. Devemos muito para vocês que se empenharam em dedicar o seu melhor. Como retribuição, se isso for possível, oferecemos nossas alegrias e experiências vividas por meio do nosso trabalho, dos nossos sonhos conquistados e do sucesso que vislumbramos graças a sua ajuda.

Parabéns Professores de todo o Brasil! Vocês são a prova física de que ser egoísta não é mérito e muito menos um adjetivo para quem atua na área da educação!



JCG Comunicação – Excelência na Arte de Comunicar
www.jcgcomunicacao.com 
contato@jcgcomunicacao.com 
jcgcomunicacao@gmail.com
Texto: Jornalista  Carina Gonçalves – eterna aprendiz.

Feliz Dia das Crianças


 O mais legal de ser criança é não ter de pensar em nada! Quem dera fosse assim!! Hoje as nossas crianças estão se tornando cada vez mais precocemente adultas. Vivemos na era do consumismo imposto pela mídia, pela sociedade e por nós mesmos, os pais.

Queremos oferecer para os nossos filhos e filhas tudo àquilo que não tivemos na nossa infância. Mas nos esquecemos de oferecer a eles o mais importante que tivemos: infância! Não os deixamos serem crianças como devem ser.

Há duas ou três décadas atrás as crianças eram crianças. Podiam correr, gritar, pular, subir em árvores, ralar o joelho e chorar mais pelo curativo do que pelo machucado. Tinham as bochechas coradas, pele hidratada pela luz do sol, energia de vida e muita disposição para brincar. Eram mais inocentes.

Hoje, com a geração considerada “nativa-tecnológica”, quem ousa fazer diferente como seus pais faziam em suas infâncias, fica deslocado, é taxado de careta e sofre o famoso Bullying. E, infelizmente, se não se adequarem, ficam para trás, podem perder, inclusive, oportunidades no futuro mercado de trabalho e da vida por falta de desempenho contemporâneo.

Acreditem, existem muitas crianças que nunca subiram uma pipa ou jogaram um simples pião no chão. Carrinho de rolimã nem pensar! Brincar de corda, só se for atleta. É!!! A safra de novos adultos que vão se formar não terá o prazer de saber o que é ficar em volta de uma roda de amigos, sem tecnologia, sem um simples celular ou vídeo game, apenas jogando conversa adentro, com causos e fatos (muitas vezes improvisados) que arrancavam medo ou risadas prolongadas.

Cabe aos pais destes novos prodígios intervir enquanto há tempo e lhes presentear com o que há de melhor em si: suas crianças internas, que vivem em seus corações e alma, e lhes doarem a nostalgia e alegria vividas com atividades lúdicas e de baixo custo.

Repensem seus conceitos e reflitam sobre as reais necessidades de seus filhos. Garanto que uma brincadeira entre família é muito mais legal, desestressante e cativante do que um Tablet, Celular ou qualquer outro produto que afaste seu filho de você.

Feliz dia das Crianças para a criança que vive em você!

Confira algumas dicas que se pode fazer com as crianças:

- Colocar uma música legal, que todos curtam (infantil ou de outro gênero) e dançar, rir e cantar em grupo. Sem medo de que alguém esteja olhando torto ou julgando sua forma esquisita de balançar o esqueleto.

- Brincar de jogar bexiga e quem derrubar tem de contar uma piada, mesmo que sem graça.

- Brincar de “Stop”, que consiste em eleger uma silaba e um tema. Todos devem escrever o mais rápido possível e quem terminar primeiro grita “Stop”, àqueles que mais acertarem, ganha na vez.

- Brincar de boneca ou carrinho com as crianças, por 10 minutos, uma, duas ou mais vezes na semana.

- Fazer chocalhos de embalagens de iogurtes leites fermentados e vasilhames de doces com diferentes grãos (arroz, feijão, milho, etc). Depois chacoalhar e ver quais sons fazem.

- Invente a sua brincadeira, renove seus pensamentos e se divirta. A vida é muito curta para não aproveitar a infância e as coisas boas que ela proporciona.


Por Carina Gonçalves, Jornalista, mãe do Gabriel de 5 anos e da Alice de 1 ano e meio. Sempre que pode, ela brinca com os filhos, faz baladinhas infantis com direito a globo iluminado, estrobos, bagunça e muitas gargalhadas entre eles e com convidados, sem gastar muito, apenas com a vontade de ser feliz e de fazer o outro feliz.  

A Guerra do Fogo

Bamboo Editorial lança clássico da ficção científica e dá início à coleção Super Texto, com histórias que transcendem séculos



Sob a coordenação de Heloísa Prieto e Victor Scatolin, a Bamboo Editorial inaugura a coleção Super Texto, com histórias que transcendem gerações e que impressionam pela qualidade do conteúdo.

O clássico A Guerra do fogo dá início à série e remete o leitor ao auge da ficção científica do final do século XIX e início do século XX. Escrito em 1909 pelo francês J.H. Rosny Aîné, o livro propõe uma narrativa ambientada em um universo pré-existente, no tempo em que a humanidade e a natureza eram compreendidas como uma única coisa. No romance, tribos humanoides disputam o Fogo, considerado um ser terrível capaz de destruir sem piedade, mas também de aquecer as almas. 

A história é contada a partir da horda dos Oulhamr, um dos grupos humanoides criado pelo autor. Após perderem o foco de fogo que cultivavam diariamente, a tribo fica à mercê da própria existência, até que o jovem guerreiro Naoh, desafiado pelo chefe de sua horda, parte junto com seus companheiros Naw e Gaw em busca do Fogo, numa jornada que reúne aventura, descobertas e contato com os limites de seu conhecimento.

Com tradução de Heloísa Prieto, o livro se destaca em razão de propor uma narrativa ambientada num passado longínquo da nossa pré-história. Sua originalidade também está presente no cruzamento entre a ciência e a literatura, o que faz da obra um clássico, que aguça a curiosidade do leitor e o convida a embarcar junto ao herói em sua saga de autoconhecimento.

Indicada ao público juvenil, o romance conduz o leitor adentro de um mundo desconhecido e amplia sua imaginação. Com longos trechos descritivos repletos de detalhes e uso intenso de adjetivos e de substantivos, o autor cria um universo, com base nos conhecimentos históricos e arqueológicos de seu tempo, e recria a vida na terra no período em que corresponde ao chamado “Paleolítico” ou “Idade da Pedra Lascada”.

Para melhor compreensão do vocabulário, a obra traz uma parte complementar que explica ao leitor sobre os grupos hominídeos citados e reúne o glossário minucioso utilizado pelo autor para descrever as paisagens e a natureza – além de um aplicativo gratuito que mostra pinturas rupestres de diferentes partes do mundo. Uma contribuição para a formação leitora e cultural dos nossos jovens.

Sobre o autor: J.H. Rosny Aîné, pseudônimo de Joseph Henri Honoré Boex, nasceu em 1856 na Bélgica. Ao longo da vida escrever quase uma centena de livros, entre aventuras na pré-história, romances de ficção científica e obras de literatura fantástica.


Sobre Heloísa Prieto: Licenciada em Letras (USP), mestre em Comunicação e Semiótica (PUC) e doutora em Literatura Francesa (USP), Heloísa é autora de mais de 60 livros, tendo várias obras adaptadas para o cinema, teatro e televisão. Detentora de diversos prêmios literários, ministra oficinas de criação literária em várias instituições, além de traduzir, adaptar e coordenar obras literárias para crianças e jovens.

Ficha Técnica: 
A Guerra do Fogo 
Autor: J.H. Rosny Aîné / Tradutor: Heloisa Prieto
288 páginas
Editora: Bamboo Editorial
Preço sugerido: R$ 53,50, com app gratuito

Fonte: Assessoria de Imprensa



Os Quatro Rios

Romance, suspense, aventura e diversão compõem
a nova obra da Martins Fontes – Selo Martins



Resultado da união do pincel e da pena mágica de Baudoin e do humor corrosivo de Fred Vargas, “Os Quatro Rios” é um novíssimo romance gráfico de gênero, no qual se fundem ritmo, movimento e subversão, disponível no Brasil pela Martins Fontes – Selo Martins.

Com imagens suntuosas e a habilidade de prender o leitor ao enredo, a obra narra a história de Grégoire Barbin e seu amigo Vincent, que vivem pelas ruas, sobre seus patins, cometendo pequenos furtos. Certo dia, eles roubam a bolsa de um senhor, que continha uma boa quantia em dinheiro. Felizes, momentaneamente, eles não percebem que ficarão em perigo, pois a bolsa além esconder uma fortuna, vai lhes trazer uma série de infortúnios que, com certeza, terá grandes aventuras e desfecho surpreendente.

Uma obra belíssima, especialmente para amantes de HQ (histórias em quadrinhos) que poderão conhecer de perto o talento de dois renomados nomes da literatura francesa. E, também, excelente dica de leitura para todos os gêneros que apreciam histórias emocionantes e enigmáticas.

 
Sobre os autores:
Baudoin é pintor, ilustrador e quadrinista. Nascido na França, em 1942. Trabalhou com diversos autores francófonos e já recebeu prêmios por suas imagens e roteiros. Ensinou arte e quadrinhos no Canadá, e Os Quatro Rios é sua primeira obra editada no Brasil, entre mais de 50 livros.

Fred Vargas, pseudônimo de Frédérique Audoin-Rouzeau, nasceu em Paris, em 1957. Além de escrever romances policiais, é arqueóloga e historiadora. Tem muitos livros publicados em mais de quarenta línguas, e entre eles “Fuja logo e demore para voltar” (2004) e “O homem do avesso (2005)”, publicados no Brasil.

Ficha Técnica:
Os Quatro Rios
Editora: Martins Fontes – Selo Martins
Autora: Fred Vargas
Ilustração: Baudoin (Edmond)
Ano de Publicação: 2014
Edição: 1ª
Páginas: 224
Acabamento: Brochura
Preço: R$ 34,90


Informações para a Imprensa:
JCG Comunicação – Excelência na Arte de Comunicar
Carina Gonçalves – jornalista responsável