A Filosofia da Dança - Um Encontro Entre Dança e Filosofia

Que posturas uma filosofia deve inventar para capturar os gestos? A que passos comuns e divergentes somos convidados dançando e filosofando?



Nesta obra, esboça-se a paisagem de um encontro entre dança e filosofia, onde são redistribuídos, através da experiência da gravidade, os pesos e as levezas, as imagens e os gestos, os pensamentos e os movimentos. 

Uma paisagem povoada de verbos, de passos, de pontos de interrogação e de limites móveis. Uma paisagem conceitual de Schopenhauer a Bergson, e a Deleuze, atravessada por uma inquietude: a da imediatez e do imprevisível como potências limites do exercício filosófico, aí onde ela ressoa com a da improvisação como questionamento incessante da composição coreográfica (da geração do Judson Dance Theater à criação contemporânea).

Pondo-se a pensar, a pesar, a caminhar e a rolar juntas, dança e filosofia cruzarão alguns problemas de representações, de percepções, de composições e de modos de andar coletivos.

Sobre a autora: Marie Bardet desenvolve uma pesquisa singular na qual se articulam teoria e prática, entre seu percurso universitário em filosofia e uma formação em dança. Doutora em filosofia pela Universidade Paris 8 e pela Universidade de Buenos Aires – onde defendeu em 2008 uma tese intitulada: “Filosofia dos corpos em movimento. Entre a improvisação na dança e a filosofia de Bergson. Estudo da imediatez” – ela dá sequência ao seu trabalho de pesquisa em filosofia (pós-doutoranda na Universidade de Buenos Aires), ao seu trabalho de escrita e ao seu ensino teórico-prático tanto em algumas instituições francesas quanto na Argentina.

Ficha Técnica:
Autora: Marie Bardet
Tradução: Regina Schöpke
Editora: Martins Fontes - selo Martins
Páginas: 344 / Publicação: 2015 / Edição: 1ª
Preço sugerido: R$40,00



Fonte: Assessoria de Marketing Selo Martins. 

Educação e Hereditariedade - Estudo Sociológico


“É somente na paternidade, mas na paternidade completa, consciente – ou seja, na educação do filho – que o homem vem a sentir todo o seu coração. Oh! O barulho dos pezinhos da criança! Esse barulho leve e suave das gerações que chegam, indeciso, incerto como o futuro. O futuro, somos nós talvez que o decidiremos, pela maneira como teremos educado as novas gerações.” 

É com essas palavras que Jean-Marie Guyau nos apresenta uma questão cada vez mais pertinente: o papel da educação na formação de um homem mais vigoroso, mais forte, mais capacitado para a vida. Sim, é este o sentido da educação para Guyau: buscar os meios para “pôr em acordo a vida individual mais intensa com a vida social mais extensiva”, o que, para ele, só faz sentido quando se desenvolve plenamente o indivíduo, as suas virtualidades e potencialidades, reforçando e estimulando aquilo que é benéfico e refreando os impulsos viciosos que desequilibram o organismo. 

Entusiasta do darwinismo (ele é um homem do seu tempo, apesar de ir além dele), ele defende a capacidade da humanidade em evoluir continuamente em direção à união entre os homens e à comunhão com a natureza e o cosmos. Eis por que Guyau pode ser chamado, com toda a justiça, de um “filósofo da vida”, porque o que ele mais deseja é que o homem alcance a plenitude da existência. Por isso, sua grande preocupação, neste livro, é a defesa de uma educação que possa produzir um homem moral e eticamente superior. 

E isso quer dizer simplesmente produzir um homem capaz de aperfeiçoar-se até o limite de suas possibilidades – não apenas com um propósito egoísta, mas em benefício do seu povo e de toda a humanidade. A questão de Guyau, ao investigar o papel da sugestão na formação do caráter e dos comportamentos, é mostrar como a educação é um modo de interferir na natureza e na própria hereditariedade, mostrando que não estamos condenados pelos nossos genes e nem pelos atavismos sociais. Somos um misto da nossa herança genética e das nossas experiências, em que a educação pode representar a diferença entre sermos escravos ou homens livres.

Ficha técnica: 
Autor: Jean-Marie Guyau
Tradução: Regina Schöpke
Editora: Martins Fontes - selo Martins
Páginas: 488
Publicação: 2015 / Edição: 1ª
Sugestão de preço: R$ 45,00

Sobre o autor: Jean-Marie Guyau nasceu em Laval, França, em 1854, e foi um grande filósofo e poeta francês. Estudou arduamente literatura e filosofia até começar a produzir suas próprias obras, de grande expressividade na Europa do século XIX e começo do século XX, influenciando diversos autores contemporâneos, inclusive Friedrich Nietszche. Faleceu precocemente, aos 32 anos de idade, vítima de tuberculose.

Fonte: Assessoria de Marketing da Selo Martins
Comunicologia - Reflexões sobre o Futuro


"Comunicologia: reflexões sobre o futuro" traz uma compilação das transcrições das últimas conferências de Vilém Flusser na Universidade do Ruhr em Bochum, na Alemanha, em 1991. Nelas, o visionário teórico da mídia pretendia repensar a crítica da cultura em relação às novas tecnologias que surgiam naquele período, como a internet, e, com isso, abordar uma nova versão de sua teoria da comunicação humana. Contudo, ele não pôde ir além das preleções: Flusser faleceu em um acidente automobilístico alguns meses depois, a caminho de sua terra natal.

Sobre o autor: Vilém Flusser (1920-1991) nasceu em Praga e emigrou para o Brasil em 1941 fugindo do avanço das tropas nazistas na antiga Tchecoslováquia. Estabeleceu-se em são Paulo e se naturalizou brasileiro na década de 1950. Foi docente de filosofia da ciência e de teoria da comunicação na Universidade de são Paulo na década de 1960 e retornou à Europa nos anos 1970. Manteve-se ativo até o fim de sua vida, ministrando palestras e redigindo artigos para a área da comunicação.

Ficha Técnica: 
Autor: Vilém Flusser
Tradução: Tereza Maria Souza de Castro
Editora: Martins Fontes - selo Martins
Páginas: 424
Publicação: 2015 / Edição: 1ª
Valor sugerido:  R$ 45,00

Fonte: Assessoria de Marketing Martins Fontes 
Tutores faz campanha para doação de livros



A Tutores cria campanha Eu Leio, promovida com o objetivo de arrecadar obras que devem ser doadas a instituições de caridade em todas as cidades do Brasil em que a franquia atua, durante todo o ano de 2015.

Qualquer pessoa pode entregar livros nas unidades da marca, as obras aceitas são de diversos gêneros, menos didáticas, quem apadrinha a campanha é o escritor José Resende Jr. autor da obra Fábula Urbana, que conta a história verídica de um menino de rua que pede um livro as pessoas ao invés de comida e dinheiro e o quanto essa atitude mobiliza socialmente as pessoas. 

Para André Luiz, gerente de franquias da Tutores “a doação de livros contribui com a missão da rede que é ampliar o enriquecimento cultural das pessoas por meio da educação”.  

“Esse projeto além de contribuir com a cultura popular, ainda envolve autores renomados de diversos segmentos que acabam ficando mais próximos do público”, comenta André.  Para saber onde fazer as doações basta acessar o site www.tutores.com.br e procurar o endereço da unidade mais próxima. 

Sobre a Tutores

Microfranquia especializada em reforço escolar multidisciplinar atua com profissionais especializados tanto em estabelecimentos comerciais como na própria residência do aluno. O material didático utilizado é o do próprio aluno, evitando sobrecarrega-lo com novos conteúdos que não estejam em sintonia pedagógica com a sua escola. A rede trabalha com duas modalidades de serviço: o VIP, onde o atendimento é individual e personalizado e o Flex, com grupos de no máximo quatro pessoas. 



Fonte: Texto & Imagem Comunicação