Livro II da série de sucesso "VEKI" 
já tem data de lançamento

Leitura sugere reflexão em cima de dilemas vividos por seu protagonista


O lançamento da continuação da saga de Ricardo em se descobrir um mago já tem dia, local e horário marcados: 21 de Outubro, domingo, a partir das 16h30 na Livraria da Vila no Shopping Pátio Higienópolis.

Segundo livro da série de sucesso VEKI, em “O início das tribulações”, o protagonista, agora um mago já mais experiente, dependerá desse aprendizado e da ajuda de alguns amigos e de Literus, seu mentor, para manter a paz no planeta Terra. Mas, por que a paz estaria ameaçada?

Ricardo se mostra um herói que precisa se doar de corpo e alma em prol da humanidade para a salvação do planeta. Ele representa, de certa forma, algo que todos devemos – ou deveríamos – fazer para crescimento próprio: entender que estamos em constante evolução e busca por nos tornarmos seres humanos melhores.

A continuação da saga coloca nosso mago frente a frente com um inimigo de longa data. Alguém que, sozinho, o protagonista não teria condições de enfrentar. Elementais da terra, da água e do ar o ajudarão a encontrar este ser que tem o mal presente em si da pior e mais destrutível maneira.

“O livro conta duas histórias paralelas: uma sobre o passado de Ricardo e sua relação com a “Lenda dos Deuses Bandidos” e outra passada no presente onde ele se vê prestes a encarar um inimigo de imenso poder.” Eduardo R. Costa

O termo “Veki” significa, na língua Esperanto, “Despertar”. A continuação da saga de Ricardo o coloca frente-a-frente com um antigo inimigo. A trama se desenrola com a descoberta de fatos alarmantes sobre o passado de Ricardo que mostram muito do porquê do caos agora instaurado. Conseguirá ele vencer as batalhas internas e externas que o confrontarem?

Sobre a autor:
Nascido em 1975 em São Luís (MA), berço de grandes nomes da literatura brasileira como Aluísio de Azevedo e Ferreira Gullar, Eduardo vive atualmente em São Paulo onde iniciou sua carreira literária. Engenheiro por formação, utiliza a escrita para mostrar ao mundo que todos podemos enxergar a magia que existe no universo dentro de nós mesmos.

Serviço:
Data de Lançamento: 21/10/2018 – a partir das 16h30
Local: Livraria da Vila – Shopping Pátio Higienópolis
Livro: Veki: O início das Tribulações
Páginas: 282
Editora: Autografia

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...


http://www.editoradobrasil.com.br/educacaoinfantil/na_midia/img/logo_novo.jpg

Faro Juvenil para desvendar mistérios 

Com seu “lado detetivesco” cada vez mais aguçado, a garota que adora uma boa investigação retorna em nova aventura, junto com seus amigos inseparáveis, no livro "Detetive Cecília e o mistério do riacho", de Luis Eduardo Matta, um lançamento da Editora Brasil

Curiosa por natureza, a adolescente Cecília não mede esforços para encontrar respostas para as coisas que a incomodam. Ainda mais diante de um problemão como aquele que se instalou no Condomínio Quinta do Riacho, onde ela mora. O Riacho Itaguapé, que passa nos fundos do condomínio, começou a exalar um cheiro horrível. Peixes e outros animais ,que bebiam de suas águas ou comiam o lixo que ali se acumulava, começaram a morrer em grande quantidade. Tanto que o pânico se instalou no condomínio e um dos moradores, Toninho Laranjeira, convocou os moradores para uma reunião de emergência. Começa assim a aventura de Detetive Cecília e o mistério do riacho, de Luís Eduardo Matta, com ilustração de Fábio Sgroi, um lançamento da Editora do Brasil que alia suspense e consciência ecológica.

Presente à reunião, Cecília ficou intrigada com a ausência do síndico. Mas não só por isso: “Um clima tenso pairava no auditório, como se uma bomba fosse explodir a qualquer momento. Talvez fosse por causa das imagens fortes dos animais mortos no vídeo exibido por Toninho. Muito lixo havia surgido de repente. Por um momento, Cecília chegou a se perguntar se o riacho havia sido poluído de propósito. ‘Mas por que alguém faria uma coisa dessas?’”.

Com o radar para mistérios ligado, ela e seus amigos, Mariela e Bernardo, não estavam dispostos a esperar que os adultos resolvessem o caso. A curiosidade e o senso de responsabilidade falaram mais alto e o trio resolveu encarar mais uma aventura: investigar o que estava acontecendo e descobrir os culpados. Com direito a perseguições, sumiço de personagens, sustos e muito suspense, Cecília e seus amigos passam por vários suspeitos até chegar ao verdadeiro culpado, em um desfecho divertido.

Os livros da série Detetive Cecília são destinados a crianças que estão no 5º ano e, assim como a protagonista aprendiz de Sherlock Holmes, adoram histórias cheias de aventura e suspense.

Sobre o autor
Nascido no Rio de Janeiro em 1974, Luís Eduardo Matta publicou seu primeiro livro aos 18 anos, um thriller ambientado no pós-guerra do Líbano. Mas retomou a escrita apenas uma década depois, especializando-se em tramas de mistério, ação e suspense. E em 2007 transpôs para a literatura juvenil sua experiência como autor de thrillers.

Sobre o ilustrador
Fábio Sgroi nasceu na cidade de São Paulo e formou-se em Desenho Industrial. Sempre gostou muito de desenhar e assim já são mais de vinte anos de carreira. Além de ilustrações para obras literárias, ele também ilustra livros didáticos e cria Histórias em Quadrinhos institucionais.

Ficha técnica
Obra: Detetive Cecília e o mistério do riacho
Autora: Luis Eduardo Matta
Número de páginas: 96
Preço sugerido: R$ 46,10

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...



http://www.editoradobrasil.com.br/educacaoinfantil/na_midia/img/logo_novo.jpg

Um drible no preconceito

A clássica cena em que um coleguinha é sempre excluído pelos colegas ao montar o time de futebol é o fio da meada de mais uma bela história que Telma Guimarães conta em Bela jogada!, lançamento da Editora do Brasil

capa_bela jogada_mercado_2019
Telma Guimarães parte de uma situação bastante comum entre as crianças para falar sobre preconceito, aceitação, respeito, trabalho em equipe e união no livro Bela jogada, com ilustrações de Fabiana Salomão, um lançamento da Editora do Brasil.

No campinho de futebol do clube, meninos e meninas começam a escolher os colegas para escalar os times. Nesses momentos, Cândido, que é meio gordinho, sempre acaba ficando de escanteio. Ninguém o escolhe. “Mas eu sou bom pra caramba no jogo!”, ele tenta argumentar. Mesmo assim, a turma não dá bola para ele e, invariavelmente, Cândido fica no banco vendo os colegas disputarem a partida.

Certa vez, ele aproveitou o tempo para desenhar jogadas. O time de Ricardo estava perdendo feio quando ele foi substituído. Viu os desenhos do Cândido, achou que o menino entendia mesmo de futebol e mostrou para os amigos. Então, eles resolveram chamar o garoto para o gol. E não é que, além de fazer grandes defesas, Cândido ainda comandou o time na reação, dando orientações de jogadas e mudanças de posição?

“Quem é bom observador, muitas vezes, consegue ver os erros nas jogadas, dar bons palpites. Acho que por isso comecei esse texto. Queria falar dos que nunca são chamados... sobre como também são importantes e como podem virar um jogo...às vezes, usando somente nosso lápis e papel!”, explica Telma.

Indicado para crianças entre 6 e 8 anos, o livro faz parte da coleção De todo mundo, que foi criada para tratar com leveza e humor temas importantes para o desenvolvimento humano. Com ilustrações atrativas, de brinde cada livro da coleção traz, no final, uma HQ que complementa de forma divertida o tema abordado.

A rica diversidade de nossa linguagem

Mexerica e bergamota, carrinho de rolimã e de lomba. As diferentes expressões e palavras que usamos para denominar algumas coisas, dependendo da região do país, são abordadas de forma divertida no livro Como é que se diz?, de Telma Guimarães, um lançamento da Editora do Brasil

capa_como_e_que_se_diz_2019Criança parece que tem um radar para novidades, como mostra o livro Como é que se diz?, de Telma Guimarães, com ilustração de Luciano Tasso, um lançamento da Editora do Brasil. Assim o radarzinho de Leo logo acendeu o alerta, quando um caminhão de mudança parou na frente da casa ao lado da sua. Novos vizinhos estavam chegando: um casal e duas crianças, cujas idades regulavam com a dele e de sua irmã, Helena. Leo ficou intrigado principalmente pelo jeito de falar da família, que usava umas palavras esquisitas, que ele nunca tinha ouvido, como piá e cusco.

Leo chamou a irmã e foram espiar o movimento mais de perto. Descobriram que o casal Ângelo e Aline e seus filhos, Paulinho e Mariana, vinham de outra região do país, por isso falavam daquele jeito diferente. Longe de estranharem, Leo e Helena viram na chegada dos vizinhos um mundo de possibilidades de brincadeiras, amizades, ricas trocas culturais e de experiências.

Com esse encontro de culturas, Telma aproveita para mostrar ao pequeno leitor que o jeito de falar varia de acordo com o lugar onde moramos. Que o Brasil é rico nessa diversidade de linguagem, e que pode ser muito divertido aprender com essas diferenças. Foi o que perceberam Leo, Helena, Paulinho e Mariana ao descobrir que mexerica também pode ser chamada de bergamota, que carrinho de rolimã é conhecido como carrinho de lomba e semáforo pode ser sinaleiro.

Acostumada a viajar pelo Brasil inteiro divulgando seus livros e falando sobre leitura, Telma sempre escuta palavras e expressões diferentes e típicas dos lugares por onde passa. Daí nasceu a ideia de fazer esse livro. “Pensava em tudo o que ouvi nessas andanças e como nossa língua é rica. E nada como um vizinho novo, vindo de outra região, para trazer, junto com o caminhão de mudança, algumas diferenças também no modo de falar”, conta a escritora.

Indicado para crianças entre 9 e 10 anos, o livro faz parte da coleção De todo mundo, que foi criada para tratar com leveza e humor temas importantes para o desenvolvimento humano. Com ilustrações atrativas, de brinde, cada livro da coleção traz, no final, uma HQ que complementa de forma divertida o tema abordado.

Talentos trocados, ensinamento dobrado 

Ao organizar o show de talentos de sua turma, a professora Cleusa propôs um desafio a seus alunos: fazer algo diferente do que se propunham. Os ensinamentos que essa troca de papéis proporciona estão em O som de cada um, de Telma Guimarães, um lançamento da Editora do Brasil

capa_O som de cada um_2019Em muitas escolas é comum organizar todo ano um show de talentos, em que os alunos podem mostrar seus dons. Vale cantar, dançar, fazer malabarismos, mágica, contar piada, tocar um instrumento... Para organizar o evento na sua classe, a professora Cleusa começou a anotar as habilidades de cada estudante e percebeu que um deles não estava muito empolgado. Era Donaldo, que disse não saber fazer nada. A professora insistiu, queria saber se ele gostava de alguma coisa. Ele confessou que era fã de música sertaneja e foi alvo de gozações de colegas, que achavam esse gênero musical muito chato. Luciano logo anunciou que ia cantar um rap, um ritmo muito mais popular entre estudantes da turma, que aplaudiram prontamente a decisão do amigo.

Diante desse episódio de puro preconceito, a professora tomou uma decisão: trocar as atividades que cada aluno tinha se proposto a fazer. O que ia fazer mágica, contaria piada. O que ia cantar música sertaneja, faria um rap. E o cantor de rap comporia uma música sertaneja... E Cleusa explicou: “Mudanças sempre fazem bem! Cada um de vocês tem habilidades diferentes e precisamos exercitá-las de várias maneiras. Tenho certeza de que o resultado vai ser bom e todos nós vamos curtir!”.
Esse é o enredo de O som de cada um, de Telma Guimarães, com ilustrações de Carla Irusta, um lançamento da Editora do Brasil. Essa narrativa estimulante desafia os limites, os rótulos e as dificuldades pessoas.
Com isso, a ideia da escritora foi levar os leitores a refletir sobre como apreciar ou, ao menos, respeitar algo diferente do que gostam. E a professora tem um papel fundamental como mediadora dessa reflexão. “Fiquei surpresa com os alunos desta história. Despiram-se de preconceitos e foram criativos. A professora, então, nem imaginava que seu próprio estilo musical também mudaria!”, escreve Telma.
Indicado para crianças entre 8 e 9 anos, o livro faz parte da coleção De todo mundo, que foi criada para tratar com leveza e humor temas importantes para o desenvolvimento humano. Com ilustrações atrativas, de brinde, cada livro da coleção traz, no final, uma HQ que complementa de forma divertida o tema abordado.

Diferenças culturais dentro da sala de aula 

A chegada de quatro alunos estrangeiros na turma do 5º ano e uma professora atenta e sensível renderam uma ótima oportunidade de aprendizagem contada no livro Todo mundo junto, de Telma Guimarães, lançamento da Editora do Brasil

capa_todo_mundo_junto_2019
Imigração, uma importante questão do mundo contemporâneo, e o respeito às diferenças são temas abordados com muita sensibilidade no livro Todo mundo junto, de Telma Guimarães, com ilustração de Evandro Marenda, um lançamento da Editora do Brasil.

Na obra, Mirtes é professora de Geografia e se vê diante de um desafio: mediar a integração dos quatro alunos estrangeiros à turma do 5º ano. Vindos da Síria, da Bolívia, do Peru e de Angola, eles despertavam o riso dos colegas por causa do jeito de se vestirem, dos nomes e sotaques. A professora sentiu logo que esse comportamento fazia as crianças estrangeiras se sentirem mal. Então, tratou de criar um projeto para virar esse jogo, transformando a curiosidade das crianças em rico aprendizado e respeito pelas diferenças.

A autora teve a ideia de escrever este livro ao ler no jornal uma reportagem sobre crianças imigrantes. “Depois de ler mais sobre famílias que buscam melhores condições de vida aqui, neste enorme país, iniciei a história. O que parece começar com pequenos conflitos torna-se uma experiência muito enriquecedora, tanto para Mirtes, a professora, como para todos os seus alunos”, escreve Telma.

Indicado para crianças que estão no 5º ano escolar, o livro faz parte da coleção De todo mundo, que foi criada para tratar com leveza e humor temas importantes para o desenvolvimento humano. Com ilustrações atrativas, de brinde, cada livro da coleção traz, no final, uma HQ que complementa de forma divertida o tema abordado.

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...

Literatura infantil em forma de cordel

A convivência de dois primos que vivem realidades diferentes ressalta a diversidade cultural brasileira, em formato de cordel, no livro O encontro da cidade criança com o sertão menino, de Marco Haurélio, um lançamento da Editora do Brasil


Escrito em estrofes de seis versos e sete sílabas poéticas, o livro O encontro da cidade criança com o sertão menino, de Marco Haurélio, com ilustração de Laerte Silvino, um lançamento da Editora do Brasil, segue a forma consagrada das narrativas de cordel, um gênero literário popular que acabou de ser reconhecido como patrimônio imaterial cultural do Brasil, tendo como berço a Região Nordeste brasileira.

Na obra, o autor coloca em contato dois mundos bem diferentes, a partir do encontro dos primos José Silva, que mora no sertão de Alagoas, e João Wenceslau da Costa, que mora na cidade de São Paulo.  Em Alagoas, José Silva mora com a avó, Sinhana, em uma casa sem luz elétrica e sem televisão. Ele leva a vida típica dos garotos do lugar: vai à escola montado no jumento Pouca-Prosa, brinca de jogar bola, sobe em árvores e nada nas lagoas. A parte que mais gosta vem a noite, quando sua avó, à luz da candeia, lê boas histórias para ele na forma de cordel.

A rotina da família muda quando o filho mais velho de Sinhana, João, que fora embora para São Paulo havia muitos anos, retorna para uma visita, bem na época de Natal, e trazendo a mulher Inês e o filho, João Wenceslau, para conhecer a avó. Esse encontro entre a criança da cidade e o menino do sertão é a deixa para homenagear grandes cordelistas e repentistas nordestinos, em uma bonita celebração das tradições populares do sertão brasileiro.

O autor foi buscar inspiração para escrever o livro em na própria infância. “Fui menino do sertão e, por vários anos, morei na roça, num lugar chamado Ponta da Serra, na Bahia, onde nasci. Também tive uma avó contadora de histórias, Luzia Josefina, que tinha um grande acervo de folhetos de cordel guardados na gaveta de um velho armário, verdadeiro baú do tesouro”, escreve ele.

O livro faz parte da coleção Mil e uma histórias, que reúne autores renomados, ilustrações encantadoras e narrativas cativantes. As obras dessa série refletem a cultura popular e a infância, mostrando a realidade de um jeito diferente e levando o pequeno leitor a pensar sobre suas atitudes e o mundo que o cerca.

Sobre o autor
O poeta popular, professor, folclorista e editor Marco Haurélio deu os primeiros passos na escrita muito antes de se formar em Letras na Universidade do Estado da Bahia (Uneb). Tinha 6 anos de idade quando escreveu o seu primeiro cordel, com o título de O destemido Duzinho. Já havia escrito mais de 30 histórias quando publicou o primeiro livro, O herói da Montanha Negra, em 2006. Radicado em São Paulo dede 1997, viaja o país inteiro dando palestras e oficinas sobre o cordel e a cultura popular brasileira.

Sobre o ilustrador
Laerte Silvino, ou apenas Silvino como assina seus trabalhos, nasceu em Recife (PE), cursou geografia e, após viajar por várias áreas exóticas do país, resolveu se dedicar à ilustração e aos quadrinhos, trocando assim a liberdade das paisagens pelas quatro paredes de seu estúdio. Desde então ilustrou para alguns jornais em Pernambuco e, atualmente, para alguns jornais do Nordeste; também ilustra e faz quadrinhos com frequência para revistas de circulação nacional e livros infantis, juvenis e didáticos. Seus trabalhos podem ser conhecidos no site www.laertesilvino.com.br.


Ficha técnica
Obra: O encontro da cidade criança com o sertão menino
Autor: Marco Haurélio
Ilustrador: Laerte Silvino
Formato: 20 x 26 cm
Número de páginas: 32
ISBN: 978-85-10-06888-8
R$ 41,60

Sobre a Editora do Brasil:
A Editora do Brasil está há 75 anos buscando sempre renovar produtos e serviços, para levar conteúdos atuais e materiais de qualidade para milhares de educadores e alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio.
Em todos os cantos do país, professores e gestores que trabalham com os nossos livros têm acesso a um projeto didático comprometido com a ética e com uma educação cada dia melhor.
Nossa missão é ser uma editora de melhor conteúdo e maior presença na educação brasileira. Isso significa que, antes de mais nada, temos compromisso com o dinamismo do conhecimento. A educação que transforma também tem que se transformar. Mais do que nunca, estamos ao lado dos educadores, observando, analisando e discutindo os novos desafios do ensino em nosso país.
Assim, fornecer o melhor conteúdo educacional é mais do que a nossa missão, é a nossa é razão de existir.
Mais informações pelo site: www.editoradobrasil.com.br.
Leia Mais ►

Continue lendo...

Intensidade sonora

No livro Alto, baixo, num sussurro, é possível compreender a
 importância do som e também do silêncio em suas diversas formas

Alto baixo num sussurro, Editora do Brasil,R$48,20
“No começo, tudo era silêncio. Mas depois tudo ficou barulhento. O Universo se encheu de sons”. É esta proposta de imergir no mundo dos sons e ritmos que o livro “Alto, baixo, num sussurro”, escrito pelos ucranianos Romana Romanyshyn e Andriy Lesiv, com tradução de Flora Manzione, traz aos leitores. Nele, é possível compreender diversos tipos de sons, especialmente os produzidos pela música e pela natureza.

O mundo sonoro é o assunto principal dessa publicação da Editora do Brasil, que contém explicações dos conceitos relacionados às ondas sonoras e à audição, além de ricas informações, proporcionando uma leitura direta e lúdica sobre o tema.

Apesar de invisível, o som chama muito a atenção. Depois que paramos para ouvir, aprendemos a perceber todas as suas variações dos sons: dos ruidosos e altos aos brandos e baixos, familiares ou estranhos, além dos inúmeros produzidos pelos instrumentos musicais, que vão das cordas ao sopro. Ao apresentar todos estes pormenores musicais, a obra desperta o leitor para a educação musical, auxiliando músicos a explicar o universo dos sons às crianças e jovens.

Música, intensidade do som, silêncio, barulho - tanto produzidos pelos seres humanos, quanto pela natureza - são mencionados como formas de nos fazer refletir sobre o quão fantástico é o universo do som e do silêncio. Ouvidos e olhos atentos para deixar fluir essa leitura!

Autores: Romana Romanyshyn e Andriy Lesiv
Ilustrações: Romana Romanyshyn e Andriy Lesiv
Tradução: Flora Manzione
Formato: 28 x 26 cm
Número de Páginas: 64 páginas
Preço sugerido: R$ 48,20

Sobre os autores: Romana Romanyshyn e Andriy Lesiv nasceram em Lviv, Ucrânia, em 1984. Depois de se formarem na Lviv National Academy of Arts, criaram o Studio Agrafka, onde colaboraram em livros e vários outros projetos. Eles receberam muitos elogios por seu trabalho, incluindo duas menções especiais nos Prêmios Bologna Ragazzi.

Fonte: assessoria de imprensa

Leia Mais ►

Continue lendo...

Lançamento livro "Quero Viajar Mais"


Quem nunca sonhou em viajar o mundo, e ainda por cima ganhar para isso? Parece a profissão perfeita e realmente instiga a curiosidade de muita gente. Foi o caso de Guilherme Tetamanti, criador do blog Quero Viajar Mais, que lança no próximo dia 13 de setembro (quinta-feira), na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo, um livro com dicas para organizar uma viagem perfeita.

Em seis capítulos, o livro mostra aprendizados do empresário e blogueiro ao longo de dez anos na estrada. As dicas são para quem está planejando a primeira viagem, ou mesmo para um viajante mais experiente que gostaria de aprender ainda mais sobre esse universo.

“Sempre quis mostrar para meus amigos e família o quanto viajar me faz bem. O projeto cresceu e hoje tenho a chance de levar minha experiência para milhares de pessoas, quero incentivar toda essa gente, para que possam também ter a oportunidade de viver tudo isso o que vivi viajando pelo mundo”, explica Guilherme.

Essa história de sucesso com o blog, por sua vez, é fruto de uma longa jornada. Começou em 2011, quando Tetamanti decidiu vender sua antiga empresa, carro e outros bens para embarcar em uma viagem ao redor do mundo. Em 365 dias, percorreu 18 países nos 5 continentes.

“Eu já trabalhava com internet, então para mim foi natural pensar em compartilhar as experiências que teria na viagem. Além disso, naquela época não encontrei muita informação em português sobre esse tipo de aventura, foi o incentivo que faltava”, conta.

Sete anos depois, o projeto se tornou uma referência entre os blogs de viagem no Brasil, com mais de 1 milhão de seguidores nas redes sociais, e 400 mil leitores mensais no blog. O conteúdo, que a princípio tinha pautas apenas sobre volta ao mundo e período sabático, atualmente traz dicas para ajudar viajantes que procuram destinos dentro e fora do Brasil, baseados nas experiências de Tetamanti e diversos outros colunistas. 

O livro reúne dicas inéditas e resolve as mais dúvidas comentadas do blog www.queroviajarmais.comVale mencionar que todas as dicas foram preparadas e registradas pelo mesmo, tudo de maneira simples e com o próprio celular. “Recebo muitas mensagens de seguidores dizendo que tenho sorte por trabalhar viajando, mas pouca gente sabe o quanto foi difícil construir esse estilo de vida. É verdade que viajo mais do que o normal, mas compenso nos outros dias e não saio da frente do computador. Não existe milagre, e sim muito esforço”, conclui Tetamanti.

O link para conhecer mais sobre o blog é www.queroviajarmais.com. Nas redes sociais basta procurar por @QueroViajarMais (Instagram, Youtube e Facebook).


Serviço:
Lançamento Livro “Quero Viajar Mais”
Data: 13/09/2018 (quinta-feira)
Horário: 19h às 21h30
Local: Livraria Cultura – Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2073 - Bela Vista
Entrada Gratuita

Fonte: assessoria de imprensa 
Leia Mais ►

Continue lendo...

O poder de ser do jeito que a gente é

Essa é a principal lição que a protagonista do livro QUE CABELO É ESSE, BELA?,
 da escritora Simone Mota, um lançamento da Editora do Brasil, aprende ao refletir sobre a implicância que as pessoas têm com suas madeixas


capa_LA_que_cabelo_e_esse

Toda vez que chovia, a garotada fazia a festa no quintal da vila onde Bela morava. Ela e os amigos adoravam brincar com a água que caia do céu. Principalmente por um detalhe mágico: com a água da chuva, o cabelo dela começava a brilhar! “Toda vez que um amigo a alcançava, ela passava as mãos nos cabelos e dividia seu brilho. E rapidamente voltava a brilhar e a correr dos amigos. Quando nenhum deles conseguia pegá-la, Bela balançava a cabeça respingando brilho em todos”, diz um trecho de Que cabelo é esse, Bela?, escrito por Simone Mota, com ilustrações de Roberta Nunes, um lançamento da Editora do Brasil.

Mas nem todos se encantavam com o poder de brilho do cabelo da garota. Alguns faziam bullying com a menina, implicavam com aquela cabeleira e gritavam “Corta essa juba!”, “Alisa!”. E Bela começou a se incomodar, ficou triste e preferiu não ter mais tanto brilho. Por que não podia ser quem era?  Seria melhor não ter mais aquele poder nos cabelos?

Sua mãe lhe explica então a origem daquele brilho, que remontava à tataravó de Bela, uma mulher escravizada. E agora ela tem a escolha de renunciar ou não a esse poder. O que fazer?

Com essa narrativa singela, a escritora Simone Mota aborda um tema superatual: a importância de quebrar preconceitos e padrões de beleza impostos. E mais, a importância de descobrir e valorizar o poder da ancestralidade e afirmar-se enquanto indivíduo consciente.

Indicado para crianças a partir dos 9 anos, o livro faz parte da coleção Mil e uma histórias, que reúne autores renomados, ilustrações encantadoras e narrativas cativantes. As obras dessa série refletem a cultura popular e a infância, mostrando a realidade de um jeito diferente levando o pequeno leitor a pensar sobre suas atitudes e o mundo que o cerca.

Sobre a autora
Formada em Estatística pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Simone Mota também cursou dois mestrados, que não chegou a concluir: Engenharia de Petróleo, na Universidade Estadual do Norte Fluminense, e Letras, na Universidade Estácio de Sá. Mas se encontrou mesmo foi escrevendo livros para criança. Estreou nesse ofício em 2011 e já tem nove obras publicadas, seis deles em uma coleção e uma poesia na antologia do Prêmio UFF de Literatura, do qual foi finalista. Sobre seu novo livro ela diz: “ ‘Que cabelo é esse?’ é uma frase ecoante na minha vida. E na ignorância de seu sentido, acabei imaginando. O eco reverberou e virou essa história. É difícil saber quando isso aconteceu. As histórias são assim mesmo, existem e escolhem como e quando serão contadas. Eu fui escolhida para contar essa para vocês.”

Ficha técnica
Obra: Que cabelo é esse, Bela?
Autora: Simone Mota
Formato: 21 x 28 cm 
Número de páginas: 32
ISBN: 978-85-10-06808-6
Preço: R$ 43,10

Sobre a Editora do BrasilFundada em 1943, a Editora do Brasil atua há 75 anos com a missão de mudar o Brasil por meio da educação. Como empresa 100% brasileira, foca a oferta de conteúdos didáticos, paradidáticos e literários direcionados ao público infantojuvenil. Foi fundadora da CBL, SNEL, FNLIJ, IPL e da Abrelivros. Os títulos estão disponíveis para comercialização por meio da loja virtual da Editora Brasil (http://www.editoradobrasil.com.br/lojavirtual/) ou nas lojas físicas, em São Paulo (Rua Conselheiro Nébias, 887 – Campos Elíseos, São Paulo - SP), Rio de Janeiro (Rua do Bispo, 150 - Rio Comprido-RJ) e Natal (Rua dos Caicós, 1533 – Alecrim, Natal- RN).

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...

 

 

30º Troféu HQMIX anuncia os vencedores de 2017

A estatueta desse ano homenageia Mauricio de Sousa e Ziraldo com Mônica e Menino Maluquinho

Entrega do Troféu será dia 16 de setembro, às 17h na Comedoria do Sesc Pompeia


O Troféu HQMIX, criado em 1988 pela dupla Gualberto Costa e JAL, dentro do programa TV MIX, na TV Gazeta de São Paulo, divulga a lista dos ganhadores na votação anual sobre os lançamentos das HQs no ano que passou.

A escolha dos indicados, feita por um júri de especialistas e pesquisadores de HQs, durou quase quatro meses. Entre essas indicações, os vencedores foram eleitos por votação de cerca de mil profissionais da área, em todo o Brasil.  

Nesta trigésima edição, que é especial, a estatueta do troféu, feita por Olintho Tahara e reproduzida por Michel Costa, é uma homenagem para dois autores inquestionáveis – Mauricio de Sousa e Ziraldo com a escultura dos personagens Mônica e Menino Maluquinho segurando a “bomba”, que é o logotipo do evento.

A entrega do troféu acontecerá no dia 16 de setembro, às 17h, na Comedoria do Sesc Pompeia, com entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do evento começar (16h), na bilheteria da unidade até se esgotarem. Como em anos anteriores, Serginho Groisman, padrinho do Troféu HQMIX, será o apresentador com a participação do DJ MZK.


Os vencedores em cada categoria – Melhores de 2017

Adaptação para os quadrinhos: Moby Dick
Arte-Finalista Nacional: Lu e Vitor Cafaggi
Colorista Nacional: Cris Peter          ‘
Desenhista Nacional: Marcelo D´Salete
Destaque Internacional: Marcelo D´Salete
Doutorado: Tecnologia e cultura nos quadrinhos independentes brasileiros por Liber Eugenio Paz
Edição Especial Estrangeira: Moby Dick
Edição Especial Nacional: Angola Janga
Editora do Ano: Pipoca & Nanquim
Evento: CCXP Comic Con Experience
Exposição: A Era Heroica - O Universo DC Comics por Ivan Reis
Grande Contribuição: Prêmio Jabuti - Histórias em Quadrinhos
Homenagem: Douglas Quinta Reis
Homenagem: Sonia Luyten
Livro Teórico: Desaplanar de Nick Sousanis
Mestrado: O Processo de legitimação cultural das histórias em quadrinhos por Beatriz Sequeira de Carvalho
Mestre: Daniel Azulay
Novo Talento:  Desenhista: Bruno Seelig
Novo Talento: Roteirista: Carol Pimentel
Produção para outras Linguagens: Traço Livre - O Quadrinho Independente no Brasil (Filme Documentário)
Projeto Editorial: Os Mundos de Jack Kirby – Um tributo ao rei dos quadrinhos
Publicação de Aventura/Terror/Fantasia: Meu Amigo Dahmer
Publicação de Clássico: Akira
Publicação de Humor: Marcatti 40
Publicação de Tira: Linha do Trem - The Best Of
Publicação em Minissérie: Xampu (Vol. 1, Vol. 2 E Vol. 3)
Publicação Independente de Autor: Alho-Poró
Publicação Independente de Grupo: Orixás - Em Guerra
Publicação Independente Edição Única: Alho-Poró
Publicação Infantil: Combo Rangers - Somos Iguais
Publicação Juvenil: Graphic MSP Vol.15: Chico Arvorada
Publicação Mix: Baiacu e Marcatti 40 (Empate)
Roteirista Nacional: Marcelo D´Salete
TCC: Naruna - Uma história sobre esculpir travessias por Mayara Lista Alcantara
Web Quadrinhos: Hell No! Meu pai é o diabo
Web Tira: Will Tirando



Sobre o Troféu HQMIX
O Troféu HQMIX foi criado em 1988, pela dupla JAL e Gualberto Costa, no programa TV MIX, da TV Gazeta. O prêmio logo foi apadrinhado pelo então apresentador do programa, Serginho Groisman. A votação nacional é feita pela categoria dos desenhistas de HQs e Humor Gráfico, por meio da Associação dos Cartunistas do Brasil (ACB) e do Instituto Memorial das Artes Gráficas do Brasil (IMAG).

30º TROFÉU HQMIX
Data: Dia 16 de setembro de 2018
Horário: 17 horas
Local: Sesc Pompeia (Comedoria)
Endereço: Rua Clélia, 93 – São Paulo - SP
Entrada franca com distribuição de convites a partir das 16h na bilheteria do Sesc Pompeia

Fonte: assessoria de imprensa

Leia Mais ►

Continue lendo...

"Apaixonados pelo Brasil, Onde Estão?" 
fala sobre a necessidade de novos líderes

Livro escrito pela gestora e palestrante Tarsia Gonzalez faz uma análise histórica sobre a liderança no Brasil e avalia os possíveis caminhos para uma retomada da gestão da própria vida e uma guinada nos rumos do país. Lançamento oficial será no dia 04 de setembro, em São Paulo.
 “Apaixonados pelo Brasil, Onde Estão?” é o primeiro livro da gestora, palestrante e agora escritora Tarsia Gonzalez, uma das únicas mulheres presidente de conselho do país. O livro é um apanhado dos últimos 50 anos de liderança no Brasil e traz a experiência de mais de 2 décadas de gestão de Tarsia para lançar um desafio: onde estão os novos líderes, aqueles que vão transformar o Brasil novamente em um país próspero e do qual todos se orgulhem?  O livro será lançado oficialmente no dia 04 de setembro, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo.
Para Tarsia, um dos principais pontos que precisam de atenção urgente é a gestão da emoção: “estamos sendo liderados por herdeiros indolentes, que não sabem o que fazer com o patrimônio que lhes foi delegado. E estamos nos sentindo tão desamparados em meio a esse caos, que não sabemos para que lado ir. É hora de parar e respirar fundo antes de mergulhar em uma escolha consciente”, lembra a gestora, que está realizando um sonho ao publicar seu primeiro livro: “é emocionante poder compartilhar minha experiência e meus pensamentos com tantas pessoas. Eu acredito no que digo em ‘Apaixonados pelo Brasil, Onde Estão?’ e quero que ele sirva de inspiração para muitas pessoas”, revela.
Sobre a gestão da emoção, abordada no livro, Tarsia teve mentoria com Augusto Cury, escritor com mais de 25 milhões de livros vendidos, somente no Brasil, e que assina o prefácio. Ela explica: “quando deixamos a desilusão e a raiva tomarem conta, as chances de fazermos uma escolha ruim é muito grande. Mas é na crise que o verdadeiro líder se mostra”. Para Tarsia, temos que ser líderes de nós mesmos, donos e gestores das nossas emoções: “infelizmente, temos uma tendência forte a terceirizar decisões, o que parece nos eximir da responsabilidade por elas, o que não é verdade”.
O evento de lançamento oficial do livro acontecerá no dia 04 de setembro, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo, quando Tarsia vai receber convidados e autografar exemplares.
Serviço:
Lançamento “Apaixonados pelo Brasil, Onde Estão?”
Quando: 04 de setembro
Horário: a partir das 18h
Onde: Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em São Paulo
Endereço: Av. Brigaria Faria Lima, 2232 - Jardim Europa, São Paulo
Sobre Tarsia Gonzalez
A carreira de Tarsia Gonzalez na empresa Transpes, uma das maiores empresas de transportes de cargas do país, deu a ela experiências em duas áreas extremamente especiais e congruentes: qualidade e gestão. Formada em psicologia e especializada em Alta Performance em Liderança pela Fundação Dom Cabral, Tarsia participou ativamente dos movimentos que levaram a Transpes a ser eleita, por três anos consecutivos, uma das Melhores Empresas para se trabalhar pela revista Você S/A. Hoje, Tarsia viaja o Brasil ajudando a moldar novas lideranças e a reavivar a chama da paixão pelo Brasil em jovens corações.

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...

Siga-me por Email