Brasil tem primeiro festival on-line

 gratuito dedicado a livros de fotografia

 Festival Imaginária, organizado pela Lovely House, 

reúne 40 expositores e mais de 400 fotolivros de 24 a 28 de março

De 24 a 28 de março acontece no site http://festivalimaginaria.com.br/, de forma gratuita, a primeira edição do Festival Imaginária, organizado pela Lovely House, que vai reunir 40 expositores e mais de 400 fotolivros de autores nacionais e internacionais.

O Festival Imaginária tem entre seus objetivos ampliar a visibilidade e a circulação de publicações de fotografia, além de promover um espaço para reflexão, estimulando os expositores a organizarem apresentações ao vivo sobre seus títulos, conversas com os autores ou debates sobre livros e zines de fotografia. No Brasil, a iniciativa é inédita, mas alguns festivais importantes já acontecem no mundo, como o Istanbul Photobook Festival, na Turquia, o Fotobookfestival Kassel, na Alemanha, o Paris Photo, na França, o FELIFA na Argentina e o CMYK no Uruguay.

“O fotolivro assume um lugar de registro físico e memória para posterioridade. Além disso, diante de um tempo cada vez menor de observação das imagens por conta da dinâmica das mídias e do tempo publicitário, o fotolivro, com seus diferentes formatos e linguagens, é um convite para a contemplação da fotografia”, afirma José Fujocka, cofundador, curador e organizador dos eventos da casa de livros e editora Lovely House, especializada em publicação e venda de livros de fotografia e artes visuais.

“A construção de narrativas visuais teve sua importância amplificada exponencialmente nos últimos anos, e entrou no cotidiano de qualquer pessoa, seja ela um artista ou não. Atenta-se ao fato, por exemplo, do cuidado e tempo despendido por qualquer pessoa para “editar” seu feed ou story no Instagram, ou em outra rede social que permite a ela se expor e mostrar seu ponto de vista de forma visual”, diz Luciana Molisani. Sócia de Fujocka.

As editoras ou autores independentes, que participarão do evento, por meio de uma feira virtual, poderão além de expor comercializar seus livros durante os cinco dias de evento. Uma maratona de edição de imagens acontecerá com a participação do grupo Lombada, que avaliará portfólios direcionando para a formatação de fotolivros em ambiente virtual.

Um ciclo de conversas entre editores, publicadores e pensadores trazendo reflexões sobre a publicação impressa como suporte incontornável da fotografia contemporânea, com curadoria da Lovely House e Daniela Moura fazem parte do evento. Entre os convidados das rodas de conversa estão Horacio Fernández, Rosângela Rennó, Geórgia Quintas, Ana Paula Vitorio, André Penteado,  Paulo Silveira, CDF [Centro de Estudos de Fotografia de Montevideu].

O Prêmio Lovely 2021, um concurso de “bonecos” de fotolivros e fotozines, também faz parte do Imaginária. “Os primeiros lugares em cada categoria serão publicados pela Lovely House Editora, enquanto o segundo e o terceiro lugares na categoria Fotolivros receberão uma bolsa de residência artística realizada em formato on-line”, explica Fujocka.

“O festival não pretende ser um evento com enfoque fechado no universo fotográfico, mas atrair um público interessado nesta nova forma de construir e narrar histórias por imagens”, completa ainda Fujocka. “Além disso, é urgente dar visibilidade e fazer circular o que tem sido produzido no Brasil para enriquecer o debate sobre a produção de fotolivros, além de proporcionar experiências abertas ao público, entendendo que as ações ampliam e democratizam o acesso e o domínio da autoexpressão por meio de narrativas visuais”, ressalta Luciana.

O evento é totalmente gratuito para visitantes e participantes e está sendo realizado com recursos da Lei Aldir Blanc pelo Edital ProAC Expresso Lab da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do estado de São Paulo.

Serviço

IMAGINÁRIA_Festa do Fotolivro 

Durante cinco dias vamos celebrar e ampliar a visibilidade dos livros contemporâneos de fotografia. Toda a programação é gratuita e acontece on-line no site http://festivalimaginaria.com.br/ do dia 24 a 28 de março.

Programação:

_a feira livro

O evento será realizado durante os cinco dias do evento. Serão selecionados pela comissão organizadora um total de até quarenta (40) expositores, e cada um receberá seu espaço na plataforma da Imaginária para divulgar e comercializar suas publicações.

_o prêmio lovely

Em sua primeira edição, o Prêmio Lovely foi dividido em duas categorias, Fotolivro e Fotozine. O primeiro colocado de cada categoria terá o seu projeto editado e ambos serão publicados pela Lovely House Editora. O segundo e o terceiro lugares da categoria Fotolivro ganharão uma residência artística (em plataforma on-line) com profissionais da área de edição, design e produção gráfica, a ocorrer ainda em 2021.

_ciclo de conversas

Ciclo de conversas entre editores, publicadores e pensadores trazendo reflexões sobre a publicação impressa como suporte incontornável da fotografia contemporânea, com curadoria da Lovely House e Daniela Moura. As transmissões serão on-line e ao vivo.

_a maratona

 Maratona de edição de imagens aberto a qualquer pessoa interessada em ter contato com os processos de criação de um fotolivro/zine e na dinâmica de edição coletiva. Serão previamente selecionados dez (10) projetos a serem editados coletivamente pelos membros do grupo Lombada e demais participantes durante a Maratona.

Informações e inscrições: festivalimaginaria.com.br

 

Sobre Luciana Molisani (@lumolisani)

Paulistana, é graduada em Artes Visuais pela FAAP-SP. É sócia e diretora criativa na agência Irmãs de Criação. Desde 2003, está envolvida com a organização, edição e direção de arte de várias publicações do mercado editorial. Em 2011 e 2014, ganha Prêmio Jabuti pelos livros “Miro, artesão da luz”(fotografia) e “Maquiagem – Marcos Costa” (capa), respectivamente. Tem ainda em seu currículo, os prêmios Fernando Pini (2006 e 2013) e Theobaldo de Nigris (2006) de excelência gráfica em publicações. Luciana é cofundadora, curadora e editora da casa de livros e editora Lovely House, especializada em publicação e venda de livros de fotografia e artes visuais.

 

Sobre José Fujocka (@fujocka)

uberabense, iniciou sua carreira como fotojornalista no extinto jornal “Notícias Populares”. A partir de 1993 dedica-se ao trabalho fotográfico autoral, organizando e participando de projetos artístico como o “Arte Cidade”. Ganhou diversas bolsas de estudos e prêmios de artes visuais, entre eles a “Bolsa Vitae de Artes” e “Marc Ferrez”. Nos últimos 20 anos dedicou-se à pós-produção de imagens publicitárias e artísticas. Fujocka é cofundador, curador e organizador dos eventos da casa de livros e editora Lovely House, especializada em publicação e venda de livros de fotografia e artes visuais.

Sobre a Lovely House

A Lovely House é uma editora e casa de livros paulistana que concentra seus esforços em pesquisar, publicar e divulgar projetos editoriais sobre arte, fotografia e design, priorizando a qualidade conceitual, editorial e gráfica. Inaugurada em 2018, a casa de livros abriga títulos de editoras parceiras, selos ou autores independentes e edições próprias. No espaço, físico ou digital, ainda acontecem lançamentos, cursos e pequenos encontros com autores ou convidados especiais. 


Fonte: assessoria de imprensa 

Leia Mais ►

Continue lendo...

Lançamento explica aspectos 

da geração de energia limpa

"Direito de energias & áreas afins" reúne 18 artigos sobre a matriz energética sustentável


 

Energias renováveis e sustentabilidade são temas abordados pelo lançamento “Direito de energia & áreas afins”. O livro reúne 18 artigos de especialistas ambientais – entre eles, a Dra. Cristiana Nepomuceno Soares, advogada e mestre em direito ambiental, e presidente da Comissão de Direito de Energia da OAB de Minas Gerais e organizadora da obra.

“Materiais orgânicos têm a capacidade de gerar energia e são uma alternativa renovável e limpa. Esse é um dos aspectos que explico no livro”, aponta Dra. Cristiana. Além de ser uma das organizadoras da obra lançada, a especialista também publicou um artigo no livro. O conteúdo aborda energias microbiológicas, como o biogás e a biomassa.

Publicado pela Editora Synergia, o livro tem 416 páginas e está no quarto volume. “A área das energias renováveis é algo em desenvolvimento no Brasil, por isso, a publicação fomenta um mercado promissor em nosso país”, comenta a autora. A transição da matriz energética tem sido um desafio no país, em combate às altas emissões de carbono, ainda segundo Dra. Cristiana.

A especialista está na quinta publicação. Em “A sustentabilidade da energia solar”, a Dra. Cristiana abordou as consequências do uso de placas fotovoltaicas à natureza. Além disso, discute sobre as opções de energia renováveis.

“Incentivar a produção acadêmica na área das energias renováveis contribui para que o mercado, no Brasil, tenha mais pesquisa e desenvolvimento. Além disso, para falarmos de sustentabilidade do meio ambiente, precisamos considerar a educação para a obtenção de bons resultados”, ressalta a advogada.

livro “Direito de energia e áreas afins” está disponível para compra no site da Editora Synergia - http://www.livrariasynergia.com.br/, com preço sugerido de R$ 60.

Sobre a Dra. Cristiana Nepomuceno de Sousa Sores

É graduada em Direito e Biologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Pós-Graduada em Gestão Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto- MG. Especialista em Direito Ambiental pela Universidade de Alicante/Espanha. Mestre em Direito Ambiental pela Escola Superior Dom Helder Câmara.

Foi assessora jurídica da Administração Centro-Sul da Prefeitura de Belo Horizonte, assessora jurídica da Secretaria de Minas e Energia- SEME do Estado de Minas Gerais, consultora jurídica do Instituto Mineiro de Gestão das Águas- IGAM, assessora do TJMG e professora de Direito Administrativo da Universidade de Itaúna/MG. Atualmente é presidente da Comissão de Direito de Energia da OAB/MG.


Fonte: assessoria de imprensa 


Leia Mais ►

Continue lendo...

 Livro infantil Jota e Chico traz acessibilidade completa para pessoas com diversos tipos de deficiência por meio de tecnologia


O lançamento é realizado no mês em que é celebrado internacionalmente a conscientização da Síndrome de Down. Libras, áudio narração e realidade aumentada dão vida ao livro que oferece uma experiência literária e musical para todas as crianças

Fundadora da Organização da Sociedade Civil, Turma do Jiló, a especialista em educação inclusiva e empreendedora social, Carolina Videira, se juntou com o produtor musical Rafael Maluf para lançar seu primeiro livro infantil 100% inclusivo: Jota e Chico. Somando uma boa história com música e recursos digitais, a novidade cria uma experiência literária acessível para todas as crianças. O lançamento será dia 15 de março, que, não por acaso, celebra o Dia da Escola. A data foi uma escolha emblemática para a causa defendida por Carolina que trabalha por mais inclusão dentro do ambiente escolar.

"Incluir as crianças com deficiência no universo da literatura é maravilhoso. Com as ferramentas que possuímos hoje, somadas a um olhar voltado para as possibilidades e não para as limitações, podemos criar experiências educativas para todos", revela Carolina Videira, uma das idealizadoras do projeto.

A história de Jota e Chico é contada de forma musicada por meio do app que complementa a narrativa de cada personagem trazendo um tom leve e divertido para as crianças mergulharem no universo de descoberta dos personagens. "A ideia foi compor músicas bem-feitas e de fácil fixação para que, através delas, conseguíssemos passar o conceito de inclusão tanto para o nosso público, as crianças, como para os pais que os acompanham durante a leitura.", complementa Rafael Maluf.

O livro conta a história de dois primos, Jota que com Síndrome de Down descobre que é muito diferente de seu primo após entrar na escola, e Chico que o acompanha nesse processo de descoberta de forma empática e carinhosa.

"Com o lançamento de Jota e Chico, também temos como objetivo inspirar o mercado editorial a ser mais inclusivo na forma e no conteúdo, trazendo um olhar de leveza com histórias alegres sem penalizar as crianças por suas deficiências em papéis tristes", acrescenta Carolina.

O uso de tecnologia para auxiliar na acessibilidade tem sido uma ferramenta poderosa de transformação social. Aplicar isso ao livro, faz com que crianças com diferentes tipos de deficiência tenham uma experiência lúdica e educacional de qualidade, contribuindo com o desenvolvimento da sua autonomia, pois acostuma as crianças a usarem a tecnologia a seu favor desde cedo. Tradução em libras para surdos e áudio narração para cegos são apenas duas opções disponíveis, porém, a inclusão no livro se torna realmente ampla devido ao uso da realidade aumentada e música, o que possibilita uma maior interação de crianças com deficiência intelectual.

O processo de produção contou com uma equipe multidisciplinar utilizando a combinação de diferentes conhecimentos para trazer a inovação inclusiva necessária. "A ideia surgiu da nossa vontade de fazer canções sobre inclusão e as dificuldades de crianças com deficiências. Com as músicas nasceu também o desejo de contar as histórias num livro com recursos para que todas as crianças tivessem a oportunidade de se divertir e aprender. Foi aí que a Patrícia se juntou a nós para cuidar das palavras e a Roberta deu forma ao livro e aos personagens nas ilustrações. Nós quatro trabalhamos juntos, um colaborando com o trabalho do outro, para que todas as crianças pudessem conhecer o Jota de uma forma diferente.", finaliza Videira.

Com idealização e as músicas de Carlina Videira e Rafael Maluf, texto de Patricia Auerbach, ilustrações de Roberta Asse, o livro já está a venda na loja da editora Mourthé ou pelo link: https://editoramourthe.mercadoshops.com.br/MLB-1813420833-jota-e-chico-_JM


Fonte: assessoria de imprensa 

Leia Mais ►

Continue lendo...

 Clube de Leitura Flyve promove leitura

de títulos de autores brasileiros contemporâneos


Os escritores dos livros escolhidos são de diversas casas editoriais,

não apenas da Flyve, e estarão presentes nos encontros



O Clube de Leitura Flyve começará as leituras em abril deste ano, estreando com o livro “O Corvo Negro” do escritor e editor Lucas de Lucca. O clube foi idealizado pelo autor e advogado Adam Mattos em parceria com a editora Flyve: esta que não apenas dá seu nome ao projeto, como oferece todo o suporte com a divulgação e se compromete a fornecer livros para sorteios internos com os leitores. Os interessados podem entrar no grupo do aplicativo Telegram que já está aberto ao público. A participação é completamente gratuita.


A ideia do clube é promover a leitura de autores nacionais contemporâneos de diversos gêneros ficcionais, como romances, contos, crônicas e poesias. Para atingir esse objetivo alguns escritores foram convidados e 13 deles já estão confirmados para o primeiro ciclo de leituras, que deve durar cerca de 12 meses a partir de abril. Vale lembrar que os escritores que terão seus livros lidos não são todos da casa editorial Flyve, ou seja, o grupo promove a leitura de autores nacionais com trajetórias diversas. Além disso, todos os autores se comprometeram a participar dos encontros. 


O Clube de leitura Flyve é um projeto desenvolvido com muito cuidado e critério, para tornar-se referência no Brasil. O nosso objetivo é criar um ambiente agradável e acolhedor, para quem divide conosco o amor pela literatura!”, explica Adam Mattos. O projeto conta também com o apoio da Poeme-se, marca de produtos relacionados a literatura, que disponibilizou um cupom exclusivo de 15%  de desconto para os membros do clube em seu site , além de também prometer sortear produtos todos os meses no grupo. Adam ainda garante que esse não é um projeto passageiro, já que após o fim da primeira fase existirão outras, com novos escritores.


Os livros e autores confirmados para o primeiro ciclo de leitura são:


Alma em pedaços - Adam Mattos

Prímulas em meio à guerra - Laura Assis

Sussurros de uma paixão - Jéssica Malvestuto 

O Corvo negro - Lucas de Lucca

Killian, Robert Killian - Eduardo Alves

O rinoceronte Frederico- Hugo Luminato 

A Irmandade dos sem futuro - Nia França

A outra parte de mim - Suzane Gomes

Os primeiros acordes da canção fatal - Gabriel C Rodriguez e Alfredo R R Sousa

A espada de Balder - Isabella Olive

Alma mecânica- Caroline Defanti

A lenda de Hagen - Tiago Amorim

Estranho - Bruno Godoi


Quem quiser participar só precisa acessar esse link para o grupo do Telegram do Clube de Leitura da Flyve. A participação é gratuita e aberta a todos os interessados.


Saiba mais sobre o primeiro livro que será lido no Clube de Leitura Flyve



# Mais de 4 mil leitores

# Vencedor da Copa Literária de 2018

# Vencedor do Edital de Cultura de Bento Gonçalves em 2015


Título: Trilogia das Plumas: O Corvo Negro

Autor: Lucas de Lucca

Editora: Flyve

Link para compra na editora:

https://www.editoraflyve.com/product-page/trilogia-das-plumas-o-corvo-negro-capa-dura

Sinopse: 

Ukel mora na capital do reino de Gor, em um mundo fantástico repleto de magia, monstros e sangue, mas ele é apenas uma criança. Com o fim da Guerra Arcana, a cidade onde vive recebe refugiados do norte e sua vida muda ao conhecer Merienir, uma elfa de cabelos prateados, e Farem, um órfão fanfarrão de Gor O Corvo Negro mostra a escalada de Ukel em sua vingança e no mundo do crime, se tornando o mais famoso e temido corvo, um caçador de recompensas. Traição, sangue e malícia guiam o caminho do jovem em uma trilogia empolgante onde o protagonista é um egoísta sem redenção.

 

298 páginas em pólen soft 80g (amarelado)

Impresso em PB e com capa em brochura e papel cartão 250g


Saiba mais sobre o idealizador do projeto Adam Mattos


Adam Mattos é advogado, escritor, poeta e editor. Acadêmico de Letras e pós graduando em Ciências Humanas e em História das Religiões. Além de ter cursos de especialização em Shakespeare e em estudos islâmicos(Harvard e Universidade de Tel Aviv). Nasceu em Londrina, mas mora há muitos anos em Curitiba, é casado e tem um filho pequeno. 

É editor do coletivo literário: “Maldohorror” e editor/fundador do Corvo Literário. Já publicou um livro chamado: Alma em pedaços e está prestes a publicar o segundo livro: “Devaneios de uma mente perturbada” pela Editora Flyve, além de ter participado de inúmeras antologias de diversas editoras. É militante em prol da propagação da literatura de forma democrática e livre no mundo líquido(pós-moderno). 


Saiba mais sobre a editora Flyve


A Flyve é uma editora de livros nacionais que busca sempre inovar e dar oportunidade para seus parceiros e escritores.  Com uma equipe pequena, mas eficaz e competente, a Flyve vem se estabelecendo no mercado e proporcionando o voo de muitas histórias. 


Site: https://www.editoraflyve.com/

Instagram: https://www.instagram.com/editoraflyve/



Fonte: assessoria de imprensa 

Leia Mais ►

Continue lendo...

Livro de poemas traz reflexão 

sobre conflitos do ser humano

 

 

Reflexivo, imaginário e libertador. Esses são os sentimentos que a escritora Alexandra Vieira de Almeida deseja instigar nos leitores com o livro de poemas Oferta. Lançado em segunda edição, pela Editora Penalux, a obra reúne temas que podem ser considerados conflitantes, como, por exemplo, o amor, o erotismo, a poesia reflexiva e filosófica e a prosa poética de temática social, beirando o limite entre poesia e prosa.

 

Para a autora, o livro solta as vozes sábias do fazer poético e cria um espaço em que literatura e leitura se conjugam em toda sua essência. Alexandra classifica sua obra como presente da escrita do poeta para o mundo, como um voo imaginativo, salientando o aspecto libertário neste jogo que leva os leitores a refletirem sobre as questões do mundo.

 

- Caso pudesse extrair uma essência do livro, ou do título, e fosse representá-la com formas ou símbolos, pensaria na imagem do livro, onde estão as palavras que saem do seu interior e a figura de um pássaro com suas asas a nos levar aos voos da imaginação - comenta.

 

O prefácio é assinado pelo poeta, contista e crítico literário Luiz Otávio Oliani. Para ele, Alexandra "percorre três linhas básicas". A primeira delas é a união entre poesia e prosa. Depois, cita a verve pictórica da poeta, lembrando o cinema. Por fim, o viés filosófico que se encontra no livro de poemas singular.

 

A contista Maria Joana Rodrigues Colin, responsável pelas orelhas do livro, diz que a poesia da autora faz com que a pessoa reflita de maneira profunda nos sentimentos. "Quando se vai a um poço não é o entorno, e sim o que existe no seu interior. É desse modo que o leitor vai se sentir ao ler o livro".

 

Sobre a autora

Alexandra Vieira de Almeida é professora, poeta, contista, cronista, resenhista e ensaísta, além de ser Doutora em Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Publicou seis livros de poesia adulta, sendo o primeiro 40 poemas e o mais recente A negra cor das palavras. Também tem um livro ensaístico, Literatura, mito e identidade nacional (2008), e um infantil, para crianças de 6 a 10 anos, Xandrinha em: o jardim aberto (Penalux, 2017).

 

Autora: Alexandra Vieira de Almeida 

Páginas: 62 

Ano: 2020 

Preço: R$ R$38,00 

Gênero: Poesia 

Link para comprar: https://www.editorapenalux.com.br/catalogo-titulo/oferta  


Fonte: assessoria de imprensa

Leia Mais ►

Continue lendo...

 Dez anos do rock’n’roll em fotografias 

nunca antes publicadas em livro

O livro mais importante sobre rock lançado este ano no mundo 

é publicado no Brasil pela Editora Belas Letras

Quem nunca ficou imaginando o que acontece nos bastidores das bandas mais lendárias da história?

O fotógrafo mais importante da cena do rock mundial reuniu todo seu trabalho no livro A Década do Rock e você vai acompanhar tudo que rolou não só nos bastidores dos shows, mas também durante as viagens ao redor do mundo com KISS, Mötley Crüe, Megadeth, Eddie Van Halen, AC/DC, Guns N' Roses, Lita Ford, Debbie Harry, Iron Maiden, Rob Halford, Ozzy Osbourne, Bon Jovi, Alice Cooper e Slash, só para citar algumas bandas fotografas na intimidade por Mark Weiss.

Esse cara não só fotografou as bandas. Ele VIAJOU JUNTO com elas. Ele dormiu nos mesmos HOTÉIS e frequentou os mesmos CAMARINS com elas. Ele era o cara que os rockstars conhecem pelo nome e chamavam antes e depois do show para serem fotografados. Ele BEBEU COM os caras, FUMOU e registrou esses momentos. Definitivamente, Mark Weiss foi um rockstar de câmera na mão.

Este não é um livro como todos os outros porque essa criatura tem mais de três vezes o tamanho de um livro padrão (a Editora Belas Letras teve que mandar fazer uma embalagem só para ela), pesa quase o mesmo que algumas guitarras (quem sabe também serão contratados roadies ao invés dos entregadores normais, que precisarão manobrar pra entrar na sua casa como aqueles instaladores de móveis), tem mais de SETECENTAS fotografias coloridas impressas em 400 páginas em papel especialíssimo (seria o papel que qualquer rockstar exigiria se viesse fazer show no Brasil), capa dura e sobrecapa. Não é um livro, não. Uma obra de arte? Uma relíquia? Ajuda aí a dizer o que é esse monstro!

Além das fotos, o livro (que não é só um livro) tem prefácio de Rob Halford, entrevistas exclusivas com os artistas e histórias nunca antes contadas.

Com exclusividade na Belas Letras você leva esse monumento com um KIT ESPECIAL, DESCONTO DA ROCK FRIDAY e FRETE GRÁTIS! A tiragem é limitada, depois não vai chorar porque perdeu o show, hein!

O Kit A Década do Rock contém 1 livro (que não é livro) + 10 cartões postais com fotos das bandas pra mandar para aqueles amigos que não conseguiram comprar a tempo nesta promo + 5 marcadores de páginas personalizados + 1 pôster com foto exclusiva tributo a Eddie Van Halen + descontão de Black Friday: de R$ 349,90 por R$ 199,90 em 3 vezes e com frete grátis.

O kit exclusivo fica disponível apenas enquanto durar o estoque. Esta é uma pré-venda, ou seja, uma venda por encomenda. ATENÇÃO: OS ENVIOS COMEÇAM APENAS DIA 30 DE NOVEMBRO!

Kit A década do rock – A fotografia de Mark “Weissguy” Weiss

Mark Weiss

Tradução: Marcelo Hauck

Editora: Belas Letras

378 páginas / Peso 2,5 kg (aproximado)

Preço de capa: R$ 349,90


Fonte: assessoria de imprensa 

Leia Mais ►

Continue lendo...

 Livro "O Almofariz de Deméter" traz a cozinha e a mesa como territórios de invenção de afetos e prazeres

Capa - O Almofariz de Deméter

O jornalista e escritor José Guilherme Rodrigues Ferreira está de volta com “O Almofariz de Deméter – Breve geografia de vinhos, afeições, alimentos e apetites”. O título, que sai pela editora Tapioca, reúne 48 crônicas que tratam a tarefa de comer – e sobreviver – em diferentes locais e períodos históricos.

Neste trabalho o autor radicaliza sua “escrita de conexões culturais” iniciadas em “Vinhos no Mar Azul – viagens enogastronômicas”, valendo-se do muito que leu, bebeu e comeu (não necessariamente nessa ordem). Depois de escrever com todas as letras que “a melhor garrafa de vinho é a garrafa de vinho aberta”, José Guilherme parte para crônicas de comida, criando narrativas que ligam experiências e culturas com saltos no tempo e no espaço.

A leitura pode levar da mesa um tanto frugal de Napoleão às listas de ingredientes especiais do grego Archestratus. Dos sabores da hospitalidade dos heróis de Homero à cesta de “comida mexicana amorosa” preparada por Frida Khalo para Diego Rivera. Do claret dos poetas românticos ingleses ao cauim dos tupinambás. Dos lagostins das festas de Uppsala, na Suécia, ao hambúrguer pop de Andy Warhol, nos Estados Unidos.

A obra destaca, especialmente, os momentos onde a cozinha e a mesa são territórios de prazer e de invenção de afetos. A apresentação do livro, escrita por Roberto Taddei, inclusive, tem o título de “Um romance à mesa”, assinalando uma evidente relação entre os textos, chamados de “cantos gastronômicos”.

 

O Almofariz de Deméter

Breve geografia de vinhos, afeições, alimentos e apetites

Autor: José Guilherme Rodrigues Ferreira

Editora: Tapioca

Preço livro Impresso: R$ 69.90

Preço e-book  : R$ 49,90

Informações : contatoeditorial@pioneiraeditorial.com.br

 

Sobre o Autor

José Guilherme Rodrigues Ferreira é jornalista e escritor. Integrou equipes em redações de alguns dos principais veículos de comunicação do País. É autor de Vinhos no Mar Azul – viagens enogastronômicas (Editora Terceiro Nome), premiado em 2009 com o Gourmand World Cookbook Awards, instituído na França. 

 Fonte: assessoria de imprensa 

Título conecta a tarefa de comer em vários tempos históricos e espaços geográficos com uma viagem que leva da mesa frugal de Napoleão ao hambúrguer pop de Andy Warhol



Leia Mais ►

Continue lendo...

 Bom Dia e Mau Dia: os conselheiros de Gustavo

Duas versões em miniatura do protagonista de "Os Minúsculos" conversam com o público infantil sobre racismo, bullying escolar e temas urgentes na coleção da escritora mestre em Teoria Literária Cléo Busatto


Em Os Minúsculos, Cléo Busatto apresenta aos jovens leitores duas criaturas minúsculas que acompanham o protagonista Gustavo em todo o lugar que ele vá. Eles representam, na verdade, dois lados do personagem no auge dos seus nove anos: ora raivoso, ora mais sonhador.

Após conhecer “os-dois-de-mim” em O Encontro, primeiro livro da coleção, Gustavo passa a chamá-los de Bom Dia e Mau Dia. É a partir do diálogo com os Minúsculos que o garoto se conhece melhor e toma decisões mais ponderadas. Em cada volume, a escritora mestre em Teoria Literária toca em assuntos urgentes, como preconceito racial, violência no esporte, trabalho infantil, abandono na infância, bullying escolar, preconceito social, relação familiar e a descoberta da paixão.

As cinco obras ilustram a complexidade da alma humana e valorizam a formação da consciência pessoal a partir da reflexão de situações cotidianas. É assim que Os Minúsculos mostram à criança que é possível crescer livre de juízos equivocados e ser responsável pela construção de um mundo mais justo e equânime.

“Ele deu um tapinha no meu ombro, virou as costas e se foi. Voltou em poucos minutos me oferecendo uma garrafa de água. Bebi um gole e joguei o resto no meu rosto e na cara do Mau Dia.
Os Minúsculos se calaram.
Eu não esperava por essa reação do Divaldo. Ainda não tinha consciência de que a amizade não escolhe raça nem cor, ou melhor, que ela é feita de todas as raças e de todas as cores.
Nesse dia aprendi a olhar além daquilo que as pessoas aparentam ser. Aprendi a ver o coração delas. Bom Dia sorriu e descansou a cabecinha entre as mãos. Mau Dia ficou com cara de derrotado.
E foi assim que começou a minha grande aventura com os-dois-de-mim.”
(O Encontro, pág.28)

Com a ilustração de Verônica Fukuda, Gustavo ganha forma e compartilha os conselhos dos Minúsculos para que cada pequeno leitor também tome decisões mais sábias fora da literatura.


Patrocinada pela Lei Rouanet, com incentivo da Copel e apoio da Secretaria da Comunicação Social e da Cultura do Estado do Paraná, a série Os Minúsculos é desenvolvida a partir de uma linguagem ágil, baseada principalmente nos diálogos.

SOBRE O PROJETO: composto por duas ações. A primeira é a produção e distribuição da coleção – foram disponibilizados gratuitamente 840 exemplares da coleção às Bibliotecas Públicas do Paraná. Já a segunda é voltada para a realização de 18 palestras de formação de mediadores de leitura.  Em razão da pandemia, os encontros serão realizados virtualmente no mês de novembro com datas a serem divulgadas. As inscrições irão ocorrer no site https://cleobusatto.com.br/projeto/os-minusculos/

Ficha Técnica
Título: Coleção Os Minúsculos
Autor: Cléo Busatto
Editora: CLB Produções
Formato: 13 x  17,5 cm
Preço: R$ 50,00
Link de venda: www.cleobusatto.store


SOBRE A AUTORA: Cléo Busatto é uma artista da palavra. Tem 29 obras editadas, entre literatura para crianças e jovens, teóricos sobre oralidade e mídias digitais, que venderam aproximadamente 280 mil exemplares. Eles fazem parte de programas de leitura e catálogos internacionais, como o da Feira do Livro Infantil de Bolonha – Itália. Em 2016, A fofa do terceiro andar foi finalista ao Prêmio Jabuti, na categoria juvenil. Contou histórias para mais de 150 mil pessoas, no Brasil e exterior. Produziu e narrou histórias no meio digital, resultado de uma pesquisa que originou 5 mídias e 3 livros e, que foi o tema da sua dissertação de mestrado na UFSC.

 Redes Sociais:

Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...

 Ataques com ácido: os vestígios da violência contra a mulher impressos em lançamento ficcional

Crime hediondo é gancho do romance policial da protagonista Betina Zetser, jornalista investigativa que enfrenta traumas e ameaças quatro anos após denúncia de trabalho escravo no interior do Brasil


Vestígios é segundo volume da saga de Betina Zetser, protagonista da escritora e romancista Luciana de Gnone. O ataque com ácido, crime hediondo que frequentemente ganha as manchetes por todo o mundo, é o gancho da próxima matéria investigativa da jornalista.

Da realidade para a ficção, Luciana de Gnone alerta os leitores sobre os vestígios e sinais da violência contra a mulher a partir da história de vítimas que sofreram o ataque dentro da narrativa. Jackeline Fernández, por exemplo, é fundadora de uma organização que dá apoio às mulheres que foram atacadas. Vítima do crime, a personagem é uma das fontes de Betina para a investigação jornalística.

 “— O que quero dizer, Richard, é que não importa qual a cifra percentual dos ataques atuais. Estamos falando de vidas que são destruídas, vidas como a minha, a sua ou de qualquer pessoa que passe por uma situação como essa. Quero muito ajudar de alguma maneira a essas mulheres, quero entender o que está por trás desses ataques, quero ser útil para a sociedade. Esse é o nosso papel, pelo amor de Deus!
Ele não disse mais nada, apenas fez um gesto com as mãos para que me retirasse.
Estava muito decepcionada com sua indiferença. Não entendia como ele poderia reagir assim, tendo uma filha da mesma idade das vítimas da Tanzânia.”
(Vestígios, pág. 65)

Enquanto isso, Bruno, marido de Betina, enfrenta um inimigo do passado que retorna para perturbar a vida do casal. É com esse enredo que Luciana aprofunda a história do primeiro volume da saga, mas sem comprometer o entendimento de quem não leu o primeiro livro. Os pesadelos com Hermano, criminoso responsável por gerenciar trabalhadores escravizados, ganham força após a notícia de que ele está foragido.

Além da saga de Betina Zetser – o lançamento do terceiro e último volume previsto para dezembro de 2020, Luciana é autora de “Crimes em Copacabana”. Semanalmente novos capítulos da série são lançados no Wattpad. As narrativas, apesar de terem tramas diferentes, possuem a mesma protagonista e os crimes acontecem nos anos 1980 no bairro de Copacabana, Rio de Janeiro.

Ficha Técnica:
Título
: Vestígios
Autor: Luciana de Gnone
ISBN: 978-65-86069-56-3
Editor: Casa do Escritor
Páginas: 360
Tamanho: 14 x 21 cm
Preço: R$ 39,90
Link de venda: https://amzn.to/3pfQeLb

Sobre a autora: natural de Brasília, Luciana mudou-se aos cinco anos para a cidade do Rio de Janeiro, onde morou com a mãe e irmãs. Formou-se em Administração de Empresas, em 1997, e em 2001 concluiu a pós-graduação em Marketing pelo IBMEC/RJ. Por 15 anos trabalhou na área de comércio exterior em diferentes empresas. Em janeiro de 2009, embarcou em uma aventura familiar emocionante e foi morar no exterior. Viveu em diferentes países; Cazaquistão, Colômbia, México e, atualmente, na Costa Rica. Iniciou a carreira de romancista em 2014, quando lançou o primeiro romance policial “Súplica em Olhos Mortos”, traduzido também para o espanhol em 2018.


Fonte: assessoria de imprensa
Leia Mais ►

Continue lendo...

 “O Melhor Abraço do Mundo” 

mostra como o ato de abraçar pode transformar

 o mundo em um lugar melhor

Luluzinha e Jorge são os personagens que guiam o leitor nesta história cheia de sentimentos. 

Escrita por Luciene Balbino, a obra fala sobre conviver com as diferenças


O distanciamento social necessário para conter o avanço do novo coronavírus este ano fez com que o brasileiro tivesse de interromper um hábito muito comum por aqui: dar abraços. Coincidentemente, um livro lançado em janeiro traz como tema justamente essa calorosa demonstração de afeto.

“O Melhor Abraço do Mundo - Ser Diferente Faz Parte da Natureza Humana”, da editora D'Livros, é um livro infantil que fala sobre amizade, saudades e diferenças e mostra a importância do abraço. Já publicado aqui no Brasil, será também lançado em Portugal pela Editora Estúdio Didáctico ainda este ano.

Como personagens principais, a brasileira Luluzinha e o português Jorge. Os dois se conhecem na escola em que frequentam em Portugal. Ela negra, ele branco, convivem também com crianças de diferentes etnias e histórias de vida, com deficiência ou não.

O objetivo da escritora Luciene Balbino é mostrar como somos todos um único povo, formado por nossas diferenças e singularidades. Sem falar diretamente sobre preconceitos, ela mostra como o mundo seria melhor se as pessoas abraçassem mais a realidade do outro e respeitassem as diferentes vivências. 

“Ninguém é melhor que ninguém. Somos seres humanos que precisamos uns dos outros”, afirma a escritora. “A ideia do livro nasceu em Portugal. Eu estava no país, sozinha, sem família… e bate uma carência muito grande. É muito bom a gente poder abraçar. Agora estamos sentindo muita falta disso.”

O personagem Jorge sabe como um abraço é importante e, como não pode mudar o mundo de uma única vez, ele propõe uma campanha para que ele e seus colegas de classe se abracem mais. O que ele e Luluzinha gostariam mesmo é de mudar o nome do mundo para “Abraço”, mas como isso é impossível, o nome da sala de aula passou a ser esse.

“O que eu quis explorar nesse livro são os sentimentos. Já passou da hora de acabarmos com o preconceito, algo totalmente estrutural, criado pelo homem. Em nenhum momento os personagens apontam diferenças, eu quis preservar a pureza das crianças. Quem ensina os preconceitos para os pequenos são os próprios pais, a sociedade.” 


Saudade e o uso da internet

Em determinado momento do livro, os amigos têm de se separar, e Luciene aproveita para trabalhar o tema do uso da internet nos dias de hoje.

“Estamos em um mundo em que estamos cada vez menos humanos, sempre atrás de um computador, de um celular. Mas quando temos de dizer adeus a alguém que a gente gosta, que vai morar em outro país, a internet nos ajuda a diminuir distâncias.”

Novamente, as coincidências em relação à realidade do ano de 2020. Apesar da série de problemas que o uso exagerado das redes sociais e da própria internet podem proporcionar, é através de chamadas de vídeos que muitos netos podem conversar com segurança com seus avós durante a pandemia, por exemplo. Difícil encontrar alguém que não usou essa ferramenta nos últimos meses.  

“Hoje, com a Covid-19, muita gente teve de fazer isso, mas quando a gente puder estar junto, perto, vamos abraçar, ouvir o outro, ajudar o mundo a ser melhor. Pensemos, onde está o abraço hoje? Qual é seu melhor abraço do mundo?”


Sobre a autora :

Nascida em São Paulo, capital, Luciene Balbino é escritora, jornalista, dramaturga e conferencista. Atualmente, divide sua vida entre o Brasil e Portugal. Seu primeiro livro infantil, “O Sonho de Carolina”, foi publicado em 1997. Em 2008, lançou na 20ª Bienal do livro em São Paulo a obra “O Sonho de Cadu” pela mesma editora. Recentemente, a brasileira lançou também “Um driblador da vida: a história de Ryan, um menino que amava o futebol”, biografia sobre Ryan, um menino de 15 anos de idade que morreu vítima de complicações causadas pela Distrofia Muscular de Duchenne. Luciene já montou três peças de teatro em Portugal: Deus, que diabos tô fazendo aqui?;  Mulheres à beira do precipício e a peça Relação Abusiva.


Fonte: assessoria de imprensa 

Leia Mais ►

Continue lendo...

Siga-me por Email