“O Executivo sem culpa”, um relato corajoso e inovador sobre o mundo dos negócios
 

“Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro e, depois, perdem o dinheiro para recuperá-la”. A frase do pensador chinês Confúcio resume a motivação de João Ermida para escrever “O Executivo sem culpa”, lançamento da editora Lua de Papel (editora do grupo LeYa) para o mês de maio. O autor - que utiliza a frase como epígrafe de um dos capítulos do livro - experimentou anos de desconforto até compreender que seus problemas físicos eram reflexos de sua insatisfação profissional. A partir daí deu novo rumo a sua carreira, e decidiu dividir sua experiência com outros, para contribuir em uma reformulação das bases em que hoje se estrutura o mundo dos negócios.

Mundo que Ermida conhece como ninguém: foi alto executivo de bancos como o Santander e o Citibank – o que o levou, em determinados períodos de sua vida, a dormir em aviões cinco noites por semana, deslocando-se entre continentes para controlar o desempenho de equipes, acompanhar mercados, fazer negócios. Nessa época começou a sentir as primeiras manifestações físicas de que algo estava errado: palpitações, falta de ar, medos injustificados. Como mantinha a rotina de exames regulares, que nada identificaram, conviveu com os sintomas e sua piora até compreender que sofria de síndrome do pânico, e que apenas remédios não solucionariam seu problema.

Já então se incomodava com a ganância desmedida, o estabelecimento de metas impossíveis de serem alcançadas, gerando uma disputa pelo poder que suplanta os interesses de acionistas e mesmo funcionários. Essa configuração coloca trabalhadores em situações de total insegurança, aumentando o medo de falhar a níveis insuportáveis, pois nada consegue “atenuar a dor de quem sofre com o medo de falhar”. Também a saúde do sistema corporativo está ameaçada.

Ermida assegura que esta não foi sempre a tônica do mundo corporativo e que, portanto, é possível, e desejável retomar valores éticos como a Verdade, a Humildade e a Solidariedade. Assim, o mundo dos negócios se tornaria humanamente sustentável, com homens e mulheres mais saudáveis e realizados, mas também um mercado mais eficiente e lucrativo. Não se trata aqui de alguém que rompeu radical e definitivamente com um estilo de vida, demonizando o mundo dos negócios e seus gestores. Muito pelo contrário: Ermida acredita em seu papel transformador, quando sustentado por valores reais e positivos, que afinal trouxeram o homem ao estágio de desenvolvimento que hoje se encontra.

Trata-se, portanto, de um livro que vai interessar, motivar e surpreender aqueles que, por uma via ou por outra convivem com o mundo corporativo. Mas também aqueles distantes dessa realidade, mas que se preocupam com os rumos que a globalização vem tomando, fazendo com que alguns empresários e até mesmo governos atuem de maneira irresponsável e insconsequente. Em “O Executivo sem culpa”, João Ermina nos mostra que, seja na conta médica, seja na quebra de corporações que antes se imaginavam sólidas, a fatura um dia chega. Cabe a nós quebrar esse ciclo, cuidando de maneira preventiva tanto de nossa saúde quanto da saúde das empresas.



Sobre o autor
João Ermida, português, estudou economia na Universidade Católica Portuguesa e começou a trabalhar como operador de bolsa de valores. Atuou em grandes instituições financeiras, como o Citibank Portugal, na equipe de mercado de capitais, e o Grupo Santander em Portugal, Brasil e Espanha, onde era responsável pela tesouraria e pelo setor de mercados financeiros. Desde 2009 é o administrador provisório do Banco Privado Português. Desenvolveu um método chamado Verdade, Humildade e Solidariedade, que deu origem a este livro, destinado aos novos executivos e é tema das palestras e conferências em empresas e escolas de gestão



Ficha Técnica
Título: O Executivo sem culpa –Mantendo os valores pessoais na vida profissional
Autor: João Ermida
Formato: 15,6x22,8 cm
Brochura
Nº de páginas: 192
Preço sugerido: R$ 29,90

Sobre a Lua de Papel
A editora Lua de Papel é uma das mais importantes do grupo LeYa – formado por 18 editoras em Portugal e que acaba de ser fundada no Brasil. Seguindo o caminho da matriz e com o objetivo de criar uma identidade própria e firmar-se como uma das grandes editoras no país, a editora Lua de Papel tem como Publisher, Pedro Almeida, e conta com uma equipe própria de editorial, marketing e comercial.

Siga-me por Email