Jornalista discute em livro para jovens
 os desafios da doação de órgãos

Obra desperta para a necessidade de mobilização da sociedade para o tema



Nos próximos dias campanhas e mobilizações apontarão para a causa da doação de órgãos e tecidos, já que em 27 de setembro é a data de comemoração ao Dia Nacional de Doação de Órgãos. E através da literatura a jornalista e escritora Lucia Seixas desmistifica de forma sensível e brilhante a doação de órgãos no seu mais novo romance, Procura-se um Coração, dedicado ao público juvenil.

O tratamento gráfico da capa faz um trocadilho com o título e leva o leitor atento à outra leitura: Cura-se coração. Uma solução simples e eficiente para passar uma mensagem, já que o assunto só se torna o maior foco na vida das pessoas quando elas passam pela situação.

“Não é necessário viver o problema para depois tomar uma posição”, diz o professor Vitor, um dos personagens da obra, que coloca o assunto como tema de pesquisa e discussão para que os alunos desenvolvam uma redação. O que o professor não sabia é que Manuela, uma de suas alunas, anda angustiada desde que descobriu que sua mãe precisará de um transplante de coração e a única coisa que aparentemente pode fazer por ela é animá-la até que a fila do transplante ande e possa então receber o novo órgão. Também lhe resta torcer para que a doença não se agrave até o transplante ser feito.

Até descobrir o problema, Manuela e Pedro eram somente dois irmãos adolescentes que não levavam mais a sério o papo de que os pais iriam se separar, já que o vai e volta dos dois era interminável. Com esta família como pano de fundo para a obra, Lucia também discorre sobre os desafios, preocupações e a força dos adolescentes. Pedro, de 15 anos, queria ficar com Dani, amiga de Lela, um ano mais velha. Mas será que Dani ia querer um pirralho? Lela e sua amiga Júlia, por sua vez, só falavam da paixão de Júlia por Biel, um cara pra lá de convencido e cujo investimento da amiga era pura perda de tempo na visão de Manuela.

Se não bastassem os problemas conjugais dos pais, a escola e as dificuldades de relacionamento de cada um, a dupla de irmãos deparou com um problema que não tinham como lidar ou mudar. Bateu um sentimento de impotência, mas a reação de Lela foi contrária. Ela quis saber tudo sobre doação de órgãos e transplantes e fez altas pesquisas na internet com sua avó. Descobriu a importância dos grupos sanguíneos na hora de doar um órgão e que nos países desenvolvidos há 40 doadores por milhão de habitantes contra 3,7 doadores por milhão de habitantes no Brasil. O país não chega nem a 10% dos doadores de outras potências. Soube inclusive que no Sudeste e Sul do país é mais fácil ter hospitais especializados e que o Norte e Nordeste estão bem carentes de infra-estrutura para doações.

Lela também conheceu melhor uma colega de classe que era desprezada pela turma e graças à nova amiga ampliou muito sua visão sobre o assunto. Das descobertas nasceu algo muito maior: a sala de aula acaba enfim se envolvendo com o assunto e promove uma campanha pela doação de órgãos. Os alunos preparam camisetas, criam frases, vão para a rua, distribuem panfletos e conscientizam pessoas. Se Lela e Pedro poderão fazer algo por sua mãe eles ainda não têm certeza. Mas se muitas vidas poderão ser poupadas com a iniciativa tudo valerá a pena.

Apesar da dureza do tema, a autora consegue nesse romance tratar o problema de frente – mas de forma leve e direta. E aproveita para mostrar que as relações podem ficar mais estreitas, e o carinho aflorar. As prioridades da vida são revistas e muita coisa boa pode acontecer quando uma família e amigos se unem para driblar um problema e curar corações.

Sobre a autora: Lucia Seixas é jornalista, com atuação nas áreas de cultura, meio ambiente e comportamento. Publicou cinco livros de temática médica em parceria com especialistas. Uma carreira que já tem mais de 25 anos, iniciada no jornal O Fluminense, de Niterói, onde nasceu e vive até hoje. Este é seu primeiro romance. Por sua decisão, parte dos direitos autorais pelas vendas desta obra será destinada à ONG Adote.

A Ilustradora: Sônia Magalhães nasceu em Araçatuba, interior de São Paulo. Hoje vive na capital paulista. Faz ilustrações para livros e revistas e está começando a escrever histórias para crianças e adultos. Desde pequena é fascinada por tesouras, e assim não demorou para se identificar com colagem. E é com essa técnica que realiza seus trabalhos, de forma manual ou digital.


Serviço
Título: Procura-se um coração
Autora: Lucia Seixas
Ilustradora: Sônia Magalhães
Páginas: 128
Preço sugerido: R$ 28,00
Editora FTD

Fonte: Assessoria de imprensa Jô Ribes Comunicação

Siga-me por Email