Gaspar Gasparian:
um fotógrafo



Coeditada pela Imprensa Oficial e Pinacoteca do Estado, obra traz cerca de 150 fotografias em preto e branco, produzidas entre 1940 e 1950.
Lançamento acontece neste sábado, 30 de outubro, na Pinacoteca, em São Paulo.

Fotógrafo que ajudou a impulsionar a fotografia moderna no Brasil, Gaspar Gasparian tem como marca de seu trabalho um agudo senso estético, com a busca de ângulos inusitados e construções geométricas com luzes e sombras em ambiente urbano. Foi um dos pioneiros do movimento pictorialista no país, que buscava aproximar a fotografia da pintura, conferindo caráter artístico à atividade.

Parte de seu trabalho está reunida no livro “Gaspar Gasparian: um fotógrafo”, lançamento da Imprensa Oficial em parceria com a Pinacoteca do Estado de São Paulo, marcado para sábado, 30 de outubro, a partir das 11 horas, na Pinacoteca – Praça da Luz, 2.

As cerca de 150 imagens reunidas no livro, todas em preto e branco,
ficarão expostas no local até o dia 14 de novembro.

As fotografias selecionadas para o livro são um recorte da produção de Gasparian, realizada principalmente entre as décadas de 1940 e 1950. Fazem parte da mostra uma série de naturezas mortas, todas montadas em estúdio, e cenas registradas em São Paulo e em viagens pelo Nordeste do Brasil. As imagens, verdadeiros desenhos em luz e sombra, refletem composições harmoniosas e leves, uma característica no estilo de Gasparian. São carregadas ainda de um tom poético que sempre marcou a obra do fotógrafo, premiado no país e internacionalmente.

Gaspar Gasparian nasceu em 1899. Filho de imigrantes armênios, inicialmente dedicou-se ao comércio da família de roupas e tecidos, e chegou a fundar uma indústria, a Lanifício Brazilia. Empresário bem-sucedido, expandiu os negócios para outras áreas, como leite em pó, conservas alimentícias e óleo de algodão para comida. Ao tirar fotos da mulher e dos filhos, sem qualquer pretensão artística, Gasparian descobriu a paixão pela fotografia. Tornou-se então sócio do Foto Cine Clube Bandeirante, à época o principal fotoclube brasileiro, cujos integrantes tiveram papel importante na transição da fotografia amadora para a atividade profissional. A entrada de Gasparian foi fundamental para impulsionar o fotoclube. Além de ajuda financeira, trazia informações do exterior e, acima de tudo, produzia intensamente.

A entrada do movimento fotoclubista no Brasil ocorreu com aproximadamente meio século de atraso. A ideia surgiu em Viena, na Áustria, no final do século 19, concebida por fotógrafos que reivindicavam à fotografia o status de arte, já que até então a atividade não era considerada um processo criativo, mas sim o resultado de um ato meramente mecânico, muito mais dependente do maquinário do que do olhar do artista que o opera. Os criadores do fotoclubismo procuraram derrubar esse conceito, captando imagens que fugissem do naturalismo, por meio de trucagens, manipulação de negativos e exploração de temas até então mais próximos da pintura.

Depois de participar do fotoclube Bandeirante, Gasparian fundou o Grupo dos Seis, com outros cinco amigos fotógrafos. Sua casa, no bairro de Higienópolis, serviu de base para os encontros semanais do clube. Com um estúdio instalado no imóvel, os integrantes discutiam de quais exposições participar e de lá saíam para fotografar bem cedo aos domingos. O local servia também para experimentações e pesquisas sobre novas tecnologias de Gasparian, que chegou a adquirir uma máquina fotográfica para fazer fotos coloridas, mas morreu em 1966, sem chegar a trabalhar com cor.

 “Ele atravessou duas décadas completamente imbuído pelo ato de ver aquilo que os outros veem, mas no seu caso, enxergar tudo o que está em volta com o sentido da criação mais simples, portanto, sofisticada, transformando a realidade”, destaca Diógenes Moura, curador de fotografia da Pinacoteca.

Serviço:
Gaspar Gasparian: um fotógrafo
Imprensa Oficial do Estado de São Paulo / Pinacoteca do Estado
144 páginas
Preço sugerido: R$ 60,00
Lançamento 30 de outubro
Local: Pinacoteca do Estado de São Paulo - Praça da Luz, 2.
Horário: 11 horas

Fonte: assessoria de imprensa da Imprensa Oficial

Siga-me por Email