“Mutações: A Experiência do Pensamento”


A obra, organizada pelo jornalista e professor Adauto Novaes e publicada pelas Edições SESC SP, apresenta 21 ensaios de filósofos brasileiros como Franklin Leopoldo e Silva, Vladimir Safatle, Olgária Matos e Newton Bignotto, entre outros, além de representantes do pensamento francês como Frédéric Gros, Eugéne Enriquez e Pascal Dibie
O SESC Vila Mariana realiza no dia 1 de outubro (sexta), às 19h30, o lançamento do livro Mutações: A Experiência do Pensamento no mesmo dia do encerramento do ciclo Mutações: a invenção das crenças. Adauto Novaes recebe os convidados logo após a conferência ‘Triste e Sorridente Metafísica’, apresentada por Jorge Coli, a última do ciclo.
No livro Mutações: A Experiência do Pensamento são abordados temas como o niilismo, as estratégias de fuga da alienação e o esgotamento ético moderno. Os artigos auxiliam a configurar a importância material do confrontamento do mundo a partir da experiência metalinguística de pensar o pensamento. Estimulando o questionamento em uma época de mutações, conforme descreve Novaes, e busca reunir fragmentos desse período tão desafiador.
O diretor regional do SESC SP, Danilo Santos de Miranda, confirma a importância dessas conferências para fazer do pensamento uma experiência de entrega às reflexões sobre a condição humana: “Mesmo carregando, muitas vezes, um tom trágico, os ensaios apresentados nos conduzem a uma situação que nos põe cruamente de frente ao mundo, uma situação que não se presta a agradar ou desagradar, mas que simples e notadamente nos faz pensar e manter vivo este ato que por vezes nos serve e que por outras nos torna mais subservientes.”

Sobre o organizador

Adauto Novaes é jornalista e professor; foi por vinte anos diretor do Centro de Estudos e Pesquisas da Fundação Nacional de Arte/Ministério da Cultura. Em 2000, fundou a empresa de produção cultural Artepensamento.

Os ciclos de conferências que organizou resultaram nos seguintes livros de ensaios: Os sentidos da paixão, O olhar, O desejo, Ética, Tempo e história (Prêmio Jabuti), Rede imaginária: televisão e democracia, Artepensamento, A crise da razão, Libertinos/libertários, A descoberta do homem e do mundo, A outra margem do Ocidente, O avesso da liberdade, Poetas que pensaram o mundo, O homem-máquina, Civilização e barbárie, O silêncio dos intelectuais, todos editados pela Companhia das Letras.

Publicou ainda A crise do Estado–nação (Record, 2003), Muito além do espetáculo (Senac São Paulo, 2000), Oito visões da América Latina (Senac São Paulo, 2006), Ensaios sobre o medo (Senac São Paulo, 2007), O esquecimento da política (Agir, 2007), Mutações: ensaios sobre as novas configurações do mundo (Agir/Senac São Paulo, 2008) e A condição humana (Agir/Sesc SP, 2009).

Título: Mutações - A experiência do pensamento
Organizador: Adauto Novaes
Número de páginas: 432
Preço sugerido para venda: R$ 67,00.
  
Os 21 textos e seus respectivos autores que compõem o livro são:


  • O espírito recusa a habitar sua obra – Adauto Novaes

  • O que significa “pensar”? – Francis Wolff

  • A representação técnica do mundo e a inexperiência do pensamento – Franklin Leopoldo da Silva

  • O fim do humanismo e a tarefa do pensamento – Oswaldo Giacoia Júnior

  • Os contornos indeterminados do moderno – Claude Imbert

  • Pensar o mal hoje – Jean-Pierry Dupuy

  • Há situações em que é imoral pensar? – Vladimir Safatle

  • Modernidade: o deslimite da razão e o esgotamento ético – Olgária Matos

  • Da morte do sujeito à invenção de si – Frédéric Gros

  • O bem comum e a vontade geral – Newton Bignotto

  • Da Filosofia Política e da Crença – Renato Lessa

  • O paradoxo da imaginação: fonte do pensamento, enclausuramento da crença – Eugène Enriquez

  • O lugar do anímico: experiência e ficção em Wittgenstein – João Carlos Salles

  • Mistérios de um mundo sem mistérios – Jorge Coli

  • Um preâmbulo: O “Raio Visual” ou as memórias de infância – Eugênio Bucci

  • Como nossos jovens pensam? – Pascal Dibie

  • Metafísica e tecnociência: uma cooperação impossível? – Paul Clavier

  • A razão niilista – Antonio Cicero

  • A mutação darwinista – Sergio Paulo Rouanet

  • O que Poincaré sussurrou para Valéry – Luiz Alberto Oliveira

  • Tempos antiprometeicos – Francisco de Oliveira

Ciclo Mutações: a invenção das crenças
Desde 5 de agosto até 1 de outubro, o SESC Vila Mariana realiza o ciclo de conferências Mutações: a invenção das crenças. O seminário busca discutir a crença não somente no âmbito das religiões como também os efeitos da revolução tecnocientífica. No caso, entendendo-se por crença não apenas as religiões, mas também, e principalmente, os ideais políticos, os valores morais e éticos, as novas visões do mundo, as construções imaginárias nas artes, enfim, tudo aquilo que Paul Valéry define como coisas vagas, tudo que se opõe aos fatos ou à “realidade”.

Mutações: a invenção das crenças é uma realização do SESC São Paulo, da Artepensamento, da Casa Fiat de Cultura e da Caixa Cultural, com o patrocínio da Petrobras, da Fiat e da Caixa Econômica Federal e apoio da Academia Brasileira de Letras, da APPA, do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, da Universidade de Brasília, da Embaixada da França, do Programa Cultura e Pensamento do Minc e da Lei Federal de Incentivo à Cultura. As inscrições para o ciclo Mutações – a invenção das crenças, em São Paulo está esgotada.

Fonte: Marra assessoria de Comunicação

Siga-me por Email