Livro registra os 20 anos dos Satyros

Imagens de 44 peças ilustram a trajetória de um dos mais polêmicos e instigantes grupos teatrais brasileiros. Editado pela Imprensa Oficial, livro será lançado no dia 16 de novembro no Restaurante Rose Velt, na Praça Roosevelt, às 19 horas.


Com espetáculos que despertam reações entre o choque e o encantamento, poucos grupos teatrais agitaram mais o cenário nacional e internacional nas últimas duas décadas do que Os Satyros, fundado em 1989 por Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez. Os primeiros 20 anos de história do grupo teatral e imagens das 44 peças encenadas no Brasil e na Europa no período compõem a “biofotografia. Os Satyros, com textos do crítico Aimar Labaki e do ator e escritor Germano Pereira, é uma edição da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. O lançamento do livro, em edição bilíngue (português e inglês), acontece na próxima terça-feira, a partir das 19 horas, no Restaurante Rose Velt, em São Paulo - Praça Roosevelt, 124, Centro.

O livro percorre os 20 anos de trajetória do grupo a partir de imagens nas quais foram inseridos pequenos textos de Rodolfo García Vázquez, retirados de seu blog http://olhossempreabertos.zip.net/. “Olhando o livro, o que impressiona é a poderosa estética de Rodolfo García, que dirigiu a maioria dos espetáculos retratados no livro. Quando olhamos uma foto de um espetáculo apresentado há 20 anos, por exemplo, temos a sensação de que o retrato foi realizado hoje. É uma estética que se comunica com o contemporâneo, mesmo depois de tanto tempo”, avalia Ivam Cabral.

Na página de abertura de cada peça aparecem os nomes de diretores e do elenco de estreia de cada trabalho. Ao final, uma cronologia com todas as encenações do grupo, desde a primeira – “Aventuras de Arlequim”, de 1989 – e toda a ficha técnica incluindo diretores, atores, técnicos, cenógrafos, fotógrafos e o local de apresentação. Germano Pereira explica que essa foi a maneira encontrada para homenagear, agradecer e reconhecer todos os que ajudaram a construir a história dos Satyros. A publicação apresenta também uma lista com todos os prêmios recebidos e trechos de críticas escritas por diversos veículos de imprensa no Brasil e exterior.

Breve história
Após a fundação e os primeiros espetáculos, em 1992 o grupo se transferiu para Lisboa, atendendo ao convite para encenar “Saló, Salomé” em Portugal e Espanha. Durante o período europeu, rodaram a Europa e se tornaram a primeira companhia do Ocidente a subir aos palcos em Kiev, capital da Ucrânia, após a queda do Muro de Berlim.

Em 1994, os Satyros montaram um curso livre de interpretação para teatro em Portugal, pelo qual passaram mais de mil alunos. No mesmo ano começaram a trabalhar também em Curitiba, alternando montagens na capital curitibana e na Europa. No final de 2000, instalaram sua sede na Praça Roosevelt, em São Paulo, o Espaço Satyros I e, em 2005, o Espaço Satyros II. Ali, o grupo se notabilizou também por liderar o movimento que buscou dar uma nova vida à Praça Roosevelt. “Os Satyros acordaram a praça Roosevelt de seu abandono e do sono empoeirado. Isso nos faz crer que é possível remodelar e renovar esta cidade que tanto amamos, devolvendo a ela funções que perdeu – principalmente em sua área central”, comenta Hubert Alquéres, presidente da Imprensa Oficial de São Paulo.


Fonte: assessoria de imprensa Lú Fernandes

Siga-me por Email