Lançamento sobre vegetarianismo



Assinada pelo médico cardiologista e especialista em nutrologia, Julio César Acosta Navarro, obra adota tom equilibrado, afirma que dieta vegetariana é benéfica e segura para todas as fases da vida, mas pondera que prática é arriscada quando não é adaptada às necessidades de cada individuo

Fruto de um extenso período de estudos e da revisão de mais de dois mil artigos científicos, chega às livrarias de todo o Brasil, o mais recente lançamento da Editora Alaúde, Vegetarianismo e ciência – Um ponto de vista médico sobre a alimentação sem carne. Redigido pelo médico cardiologista e especialista em nutrologia Julio César Acosta Navarro – que também é vegetariano – o livro não se propõe a levantar uma bandeira: aborda com clareza a influência da dieta vegetariana em diferentes aspectos da saúde, inclusive na prevenção e tratamento de diversas doenças crônicas e agudas, mas ressalta o impacto severo que um cardápio mal elaborado pode trazer às pessoas que, por conta própria, mudam drasticamente seus hábitos alimentares.

Voltado para todos os tipos de público desde o médicos especialistas até aqueles que simpatizam com o conceito, o livro é baseado em estudos de diversas patologias realizados por especialistas de instituições renomadas de todo o mundo.

A obra examina atentamente as relações entre os tipos de alimentação e diversos aspectos da saúde, como potência sexual, atividade mental, envelhecimento, longevidade, pontuando o regime alimentar como um fator crítico na evolução da humanidade. Destaca-se ainda a relação com doenças genéticas, degenerativas neurológicas, reumatologias renais, além dos cânceres de cólon, de estômago, de pâncreas, mama, próstata, entre outros.

Verdades e mentiras

Logo no primeiro capítulo, o autor trata dos perigos potenciais de uma dieta vegetariana inadequada para a saúde e analisa os relatos clínicos mais notáveis na literatura médica. O especialista é enfático ao afirmar que a falta de profundidade de inúmeros estudos e informações desencontradas, como por exemplo, a questão do valor nutricional da proteína da carne − ou a confusão surgida ao relacionar formas de alimentação restrita, como a alimentação macrobiótica, têm resultado, em alguns casos, em sérios problemas de saúde, principalmente em crianças. Ele explica que casos de desnutrição grave têm sido relatados em bebês alimentados com dietas vegetarianas inapropriadas, assim como deficiências de vitamina B12, vitamina D e ferro.

“Não se leva em consideração outros fatores, como a pobreza, a severidade de infecções e a alta taxa de gravidez nessas populações. Em conjunto, eles apresentam um falso quadro de adequação nutricional da dieta vegetariana em um ambiente menos hostil. O problema da adequação da dieta pode ser melhor avaliado examinando-se os estágios de desenvolvimento da criança”, esclarece.

Mais adiante, o leitor se depara com os três principais mitos que circundam o tema: deficiência proteica (baixo índice de proteínas); deficiência vitamínica (principalmente as vitaminas B12 e D); e, por fim; deficiências minerais. Navarro explica que a combinação alimentar de cereais (fontes de metionina) e leguminosas (lisina) manteve sociedades tradicionais durante séculos. “O consumo dessa combinação resulta em uma qualidade proteica maior do que qualquer proteína animal. Mas, para isso, é importante que a dieta seja apropriada para cada indivíduo” – encerra o autor.

Sobre o autor
Julio César Acosta Navarro nasceu em Lima, no Peru, em 1965. Veio para o Brasil em 1996 e naturalizou-se brasileiro em 2001. Graduou-se em medicina humana pela Universidade Nacional Federico Villarreal em 1999 e concluiu a pós-graduação em cardiologia clínica pela Universidade Mayor de São Marcos em 1997. No Brasil, fez subespecialização em cardiopatias congênitas no Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e no Hospital Beneficência Portuguesa (1997-1998).

Obteve títulos de especialista nas áreas de: cardiologia clínica, pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (1998); medicina intensiva, pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (2000); nutrologia, pela Sociedade Brasileira de Nutrição Clínica (2000); e clínica médica, pela Sociedade Brasileira de Clínica Médica (2002). Tem doutorado em cardiologia pelo Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2002).

De 2001 a 2007, Navarro trabalhou como chefe da Unidade de Terapia Intensiva e como cardiologista clínico do Serviço de Transplante de Fígado do Hospital das Clínicas de São Paulo. Atualmente é médico-assistente do Setor de Emergências Clínicas do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas de São Paulo e professor convidado em eventos internacionais, como OPS/OMS (“Impacto da proteção patentária sobre acesso a medicamentos”, Brasília, Brasil, 2004); Instituto de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular de La Habana (“Vegetarianismo na América Latina”, Havana, Cuba, 2007); Universidade de Loma Linda (5th International Congress on Vegetarian Nutrition, Loma Linda, Califórnia, Estados Unidos). Atualmente, realiza estudos de doutorado no Programa de Integração da América Latina, da Universidade de São Paulo.

Serviço:
Título: Vegetarianismo e ciência – Um ponto de vista médico sobre a alimentação sem carne
autor: Julio César Acosta Navarro
252 páginas; 
Preço sugerido: R$ 38,00
Editora: Editora Alaúde


Fonte: assessoria de imprensa Parceria 6

Siga-me por Email