O Despertar de uma Consciência


O livro é o estudo do que somos e a que viemos; entender a missão de cada um é essencial para alcançar a sabedoria e paz

O livro “O Despertar de uma Consciência” discorre sobre o intrínseco enigma do Homem: “Quem sou?” Com uma linguagem simples e envolvente, a autora, Elizabeth de Freitas, convida a todos para entrar neste mundo espiritual. O livro é um pólo positivo, pois mostra como acordar para o dever terreno de cada um, que é a busca pela evolução espiritual através do amor e do aprendizado.

A exatidão e riqueza de detalhes descritos pela autora nas cenas entre Iram e Messias transportam o leitor para os seus mais íntimos pensamentos, o que os faz questionar a respeito de suas escolhas e atitudes. É o início do contato com o verdadeiro Eu e com sua essência Divina. Este é o primeiro passo para o autoconhecimento, o equilíbrio e o despertar para a vida.

O livro mostra justamente isso: a jovem Iram despertando para o sentido da vida ao encontrar Messias, seu verdadeiro amor e, agora, seu mentor espiritual. Aos poucos se pode notar o enredo da trama, que se trata de um aprendizado. Messias mostra a Iram que a vida vai além dos limites da Terra e que o que ela oferece não é tudo. A jovem conhece um novo mundo, uma nova realidade, uma força antes desconhecida que é o caminho do trabalho construtivo.

O instrumento para isso é o amor verdadeiro, que é capaz de transformar as pessoas e transmutar o que se faz necessário. É sinônimo de perdão e compreensão, manifestação do que é divino. Descobrir o que motiva o ser humano e o que os faz caminhar em direção a ele mesmo. “O Despertar de uma Consciência” vem para delinear de maneira simplista que o Homem deve se desprender das amarras perdoando a si mesmo, ao próximo e que através do estudo do conhecimento e da prática contínua do bem alcançará a sabedoria. Assim, encontrará o seu ponto de equilíbrio.

A doutrina espiritualista é uma escola que ganha cada vez mais adeptos. Milhares de pessoas interessam-se pelo assunto, seus trabalhos e suas modalidades; investigam seus fenômenos e aderem verbalmente ao assunto. Neste vasto campo, muito se fala na espiritualidade, mas o homem esquece-se o que realmente ela é e o que a compõe. Amor, fé, amizade, autoconhecimento, pensamento positivo, vigi-lha, perdão, aprendizado, humildade, são algumas das coisas de que necessitamos para alcançar o que buscamos. O homem é filho de Deus em trabalho construtivo na Terra onde precisa aprender para elevar-se.

“A ferramenta para tudo isso é o corpo físico. Ele é o canal de comunicação para que possam cumprir a missão a qual estão designados na Terra. Por isso, o ser humano deve cuidar dele e alimentar a alma com padrão de pensamento positivo mantendo uma vida saudável, em contato com Deus, conhecendo e aceitando suas limitações e carências. Consciência é a chave do sucesso para alcançar a paz. Não existe milagre e a mudança que muitos procuram acontece somente quando a pessoa se permite o autoconhecimento, ouvindo sua voz interior”, comenta Elizabeth.

Esse processo é de descoberta, subterrâneo cercado de mistérios que levam à recriação da própria vida e vida com consciência plena. Este é um livro para refletir e não apenas para ler, “O Despertar de uma Consciência’ remete o ser humano a uma visão global e espiritualizada de si mesmo com suas realidades metafísicas e a necessidade do autodesenvolvimento individual em sua trajetória evolutiva.

Perfil da autora: Elizabeth de Freitas Felipe, 50 anos, jornalista formada pela faculdade FIAM- Faculdades Integradas Alcântara Machado – é autora de seis livros. O último, recém-lançado, intitulado “O Despertar de uma Consciência” surgiu a partir da necessidade de propiciar as pessoas um alento para suas inquietações. É possível a partir desse despertar uma conexão com o seu EU interior, Sua Essência Divina e conseqüentemente um encontro único e pessoal com Deus.

A escritora descobriu a espiritualidade em momentos únicos e solitários de introspecção. Nestes momentos, ela percebeu que a vida é muito mais do que a rotina incansável do dia-a-dia. Temas como alma, missão, sentido maior em relação à vida, foram perguntas que ela se fez, assim como a maioria das pessoas faz. “Em particular encontrei as respostas ao trilhar o caminho da espiritualidade. O início de tudo foi no espiritismo kardecismo, hoje me considero espiritualista com práticas voltadas ao auto-conhecimento, padrão de pensamento elevado e comunhão única e permanente com Deus, que resulta em uma experiência como o Divino. A receita par tudo isso? Trabalho, trabalho e trabalho. Saber o quer da vida e aonde quer chegar”, ressalta, Elizabeth.

A autora desenvolve o trabalho do auto-conhecimento e comunhão com o Divino em um espaço cercado por muito verde, no silêncio e quietude da natureza. Nesse templo, a pessoa descobrirá que temos de aprender a viver pela vida, por gostar da vida e não em função de uma pessoa ou de qualquer situação. Ou seja, entender quem somos, o que queremos e aonde queremos chegar. Fazendo escolhas coerente, agindo com sabedoria e discernimento, tudo sempre conectado com o plano maior, com a espiritualidade, crente que somos uma centelha Divino, e que o Deus que habita em nós é a nossa verdade, que deseja apenas que encontremos o nosso caminho e sejamos verdadeiramente felizes.



Fonte: assessoria de imprensa

Siga-me por Email