Livro discute as insuficiências da educação brasileira

Educador Paulo Nathanael Pereira de Souza faz uma avaliação geral e questiona as origens dos percalços da educação no país, o cenário atual e as perspectivas futuras


  
A escola no Brasil está longe de sua primeira missão, que é a de capacitar pessoas para o desenvolvimento, seja ele individual ou nacional. Essa afirmação é do presidente do Conselho Diretor do CIEE – Centro de Integração Empresa Escola, Paulo Nathanael Pereira de Souza, em seu novo livro, Caminhos e Descaminhos da Educação Brasileira, que chega às livrarias de todo País pela Integrare Editora. O evento de lançamento acontece no próximo dia 26 de setembro de 2011, às 18h30, no Foyer Espaço Cultural Teatro CIEE.

A obra tem como objetivo identificar as principais interfaces da crise, que afeta, de maneira avassaladora, o setor educacional brasileiro nos últimos trinta anos. Além disso, percorre todos os pormenores da educação brasileira e traça um panorama com um olhar crítico sobre o colapso educacional - cenário do qual, o Brasil é apenas um dos protagonistas, visto que hoje, a situação atinge o mundo inteiro, desde nações emergentes até as mais desenvolvidas. Ainda, abrange detalhes de política e planejamento educacional e modelos bem sucedidos neste assunto e sugere mudanças de rota para minimizar os efeitos perversos dessa crise tanto para as gerações atuais como para o patrimônio escolar e cultural das vindouras.

Com prefácio do professor Ives Gandra da Silva Martins, o livro aponta um novo caminho para a educação, possível graças à era da informação, caminho este que exige uma nova postura do ser humano, mas que ao mesmo tempo, gera incertezas diante da velocidade das mudanças. Este, inclusive, é um dos fatores que alavancam a crise educacional. O país apresenta carências em sua largada para o desenvolvimento, iniciada já há alguns anos – as deficiências passam necessariamente pela educação e impedem saltos maiores.

Segundo o autor, a ausência de uma política educacional consistente e modelos pedagógicos fracassados são fortes razões para a crise. A mudança deste cenário acredita o autor, somente será possível a partir de uma educação voltada para novos conhecimentos, novas necessidades, novas tecnologias de educação em detrimento a um ensino guiado por uma visão conservadora, controladora e tecnoburocrática: “É preciso primar pela liberdade e criatividade de alunos e professores em contraste com regras rígidas e com um sistema de ensino cada vez mais esclerosado” – propõe Nathanael.

Rico em detalhes, Caminhos e Descaminhos da Educação Brasileira, reúne informações que desvendam a origem da crise e facilitam a compreensão do quadro atual. Questões voltadas para a legislação estão presentes. Exemplo disso é a nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9394/96) que caracteriza o ensino fundamental, considerado o primeiro passo para a alfabetização, como universal e obrigatório para garantir a qualidade de vida da população. Entretanto, o especialista lamenta que o que realmente aconteça hoje, esteja tão distante do que deveria: “Não basta que o aluno aprenda mecanicamente a ler, contar e escrever. Entregar um diploma não é o suficiente. É necessário inserir a aprendizagem no contexto social, político e cultural do aluno para que ele desenvolva senso crítico, capacidades de escolha e de tomada de decisões” – conclui.

O ensino médio também é questionado ao lado do superior. E a boa notícia é que o autor aponta que há soluções para as insuficiências desde que governo e sociedade estejam empenhados: “A responsabilidade é de todos. Caso os recursos sejam insuficientes, que se elejam prioridades e que órgãos públicos e organizações comunitárias unam esforços” – avalia.

Modelo de sucesso

Em três partes, a obra traça de início, diagnósticos da crise a partir de modelos obsoletos de educação (popular ou elitizado), além de fornecer uma útil análise de países bem-sucedidos na educação de seu povo. A seguir, o leitor é brindado com artigos e excertos de várias épocas, que, ora reunidos, oferecem um claro histórico da luta do autor pela educação brasileira.

O livro aponta ainda a visão particular do autor sobre o Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), o novo ENEM e Sisu – ferramentas de avaliação de alunos e professores e dedica um capítulo inteiro ao modelo de educação adotado pela Coréia do Sul. Marcado pelo tradicionalismo retrógado, o país, que até a década de 1960 sustentava índices econômicos e sociais equivalentes aos de Gana, na África, o passo por uma intensa reforma educacional e hoje tem um rígido planejamento educacional que começa na educação básica e inclui todos os indivíduos - de zero a 18 anos. O projeto engloba ainda atualização tecnológica – computadores nas escolas com acesso à internet; professores formados na pesquisa e utilização de novas tecnologias e uma mudança econômico-social: hoje um percentual de 19,5% do PIB do país é destinado à educação. No Brasil, este índice não ultrapassa 5%.
Modalidades de educação continuada e a distância são temas também em debate - a última tida como a grande contribuição do século XX para a educação. Mídias, celular, TV, rádio, as possibilidades tecnológicas são as mais diversas e favoráveis, desde que utilizadas com eficácia e qualidade para o aproveitamento dos usuários.

Por fim, na terceira parte, Paulo Nathanael esclarece e sintetiza questões bastante atuais de educação e gestão, como estágio, educação a Distância EAD e universidade corporativa.

Serviço:
Lançamento do livro Caminhos e Descaminhos da Educação Brasileira
Data: 26 de setembro de 2011
Local:  Foyer Espaço Cultural Teatro CIEE
Endereço: Rua Tabapuã, 445, Itaim Bibi – São Paulo
Horário: 18h30

Sobre o autor:
Paulo Nathanael Pereira de Souza é umas das maiores autoridades em Educação do país, economista e doutor em Educação, desenvolveu brilhante carreira docente e administrativa no Estado e na Federação. Atua vigorosamente em prol da educação de sólida qualidade. Autor de vários livros e ensaios é hoje membro das Academias: Brasileira de Educação e Filosofia, Paulista de História, Cristã de Letras, Paulista de Letras e Paulista de Educação, da qual é Presidente.

Sobre a Editora
A Integrare é uma editora jovem cuja linha editorial contempla as áreas de educação, desenvolvimento pessoal, negócios e qualidade de vida. Sua missão é disseminar obras que contribuam para a melhoria do cotidiano de todos por meio de uma conduta ética, profissional e transparente.

A Integrare Editora, por ter uma proposta de ser uma empresa socialmente responsável e por acreditar que o papel das empresas vai além de pagar impostos e gerar empregos, destina uma porcentagem do faturamento de seus lançamentos para uma entidade não governamental reconhecida, atitude que faz parte de sua política empresarial. Por essa razão, destina um porcentual da venda desta obra para o Núcleo de Ações Comunitárias Especiais (NACE).



O NACE surgiu no final de 2004 e reuniu pessoas movidas pelo anseio de ajudar os menos favorecidos, amparando crianças e idosos. O grupo vem construindo sua história e aumentando a corrente de amor e cuidados para uma vida melhor a todos
Sonia Santiu
Presidente do Núcleo de Ações Comunitárias Especiais (NACE)


Caminhos e Descaminhos da Educação Brasileira,
Paulo Nathanael Pereira de Souza
Preço: R$ 35,90; 14x21 cm; 192 páginas,
Integrare Editora, 2011
www.integrareeditora.com.br
Leia também do mesmo autor:
Educação, Estágio & Trabalho e Educação e Desenvolvimento no Brasil; ambos publicados pela  Integrare Editora


Fonte: Parceria 6 - Assessoria de Imprensa

Siga-me por Email