Cuidados que você precisa saber sobre 
a gripe H1N1



Todos os dias acompanhamos, no noticiário, o aumento de casos de pessoas infectadas pelo vírus da gripe H1N1, que é um subtipo da gripe A ou Influenza. Só neste ano, já tivemos mais de 50 mortes provocas por ela. O problema maior, deste tipo de gripe, está nas complicações que a doença provoca no organismo de algumas pessoas, debilitando sua saúde, colocando-as em risco. Segundo dados da Secretaria de Saúde, 99% dos casos de pessoas portadoras do vírus, tem total cura da doença por meio de medicamentos e tratamentos adequados.

Infelizmente ninguém está livre de ser a próxima vitima, mas, com alguns cuidados básicos, podemos evitar que o contágio chegue ao nosso lar, nas escolas e entre as pessoas que conhecemos e amamos. Vejam as nossas dicas:

Contágio:
A doença é transmitida de pessoa para pessoa, por meio de secreções da saliva ou espirro, por exemplo. Habitualmente demora cerca de 3 a 7 dias para a doença se manifestar e tem duração de até 15 dias para a cura total. DICA: é importante, ao tossir e ou espirrar, colocar um pano ou o antebraço na frente para evitar a distribuição das bactérias pelo ar. O vírus sobrevive até duas (2) horas sobre superfícies.

Sintomas:
Os sintomas são similares ao de uma gripe comum, porém, acontecem com mais intensidade e progridem subitamente, provocando dores no corpo e na cabeça, dificuldades respiratórias, febre alta (acima de 38º.), dor de garganta, coriza e mal-estar. DICA: aos primeiros sinais, que sejam diferentes da gripe comum, procure um pronto-atendimento com seu médico e ou unidade hospitalar. Use máscara e se possível, evite o contato direto com outras pessoas em situação saudável.

Cuidados:
A higiene é sempre o melhor caminho para evitar qualquer tipo de doença ou bactéria. Por isso, manter as mãos limpas (lavando-as com freqüência e ou usar álcool em gel) é o primeiro passo para evitar o contágio e transmissão da gripe H1N1. DICA: evite compartilhar objetos de uso pessoal com outras pessoas, tocar no nariz, olhos e boca, transitar entre locais aglomerados e ou sem ventilação. Evite os prontos socorros – só no caso de emergência mesmo, pois você pode chegar lá sem a doença e retornar infectado. Lembrem-se: estamos falando de epidemia e esses locais abrigam pessoas com diversas doenças, inclusive a da Gripe H1N1.

Tipos de vacina:
Atualmente, existem dois tipos de vacina que ajudam a imunizar as pessoas contra o vírus, que são:
- a Trivalente – distribuída na rede pública de saúde e combate os vírus tipo A H1N1, tipo A H3N2 e o vírus do tipo B.
- a Tetravalente – aplicada apenas em clínicas particulares de saúde e imuniza contra dois tipos de vírus da gripe A e dois da gripe B.

Quem pode tomar:
Na rede pública, a vacina trivalente, é distribuída para um grupo distinto de pessoas, que abrange crianças entre seis meses até 5 anos completos, pessoas com doenças crônicas, idosos, índios, trabalhadores da saúde e mulheres que tiveram filho nos últimos 45 dias. Segundo o Ministério da Saúde, a gripe A é superada por pessoas saudáveis após poucos dias de tratamento sem grandes riscos. DICA: procure orientação médica antes de qualquer atitude. Se automedicar pode provocar riscos para a saúde e para a vida.

Quanto custa na rede particular:
A vacina tetravalente, oferecida na rede de clínicas particulares de saúde, pode variar entre R$ 100,00 a R$ 300,00. Muitas já estão com o estoque limitado e ou esgotado devido a grande procura - consulte antes de sair de casa.


Desejamos boa sorte e se todos cuidarmos da higiene, ao tossir ou espirrar, poderemos superar mais um ano da gripe A.

Texto: Informação Escrita / JCG Comunicação e MKT
Jornalista responsável: Carina Gonçalves
11-4113-6820 / 11-98092-6021 (Oi e Whats)


Siga-me por Email