Especial Bienal do Livro - SP

Editora Laranja Original participa
pela primeira vez da Bienal Internacional do Livro

Estande da editora – M 87- Pavilhão do Anhembi – São Paulo


A editora Laranja Original estreia na Bienal Internacional de São Paulo, em sua 24ª edição, com quatro títulos novos: De A a Z, Eróticas, de Sheila Hafez, Vinagre, de Alexandre Barbosa de Souza, Caça ao Esnarque, de Lewis Carroll (tradução de Alexandre Barbosa de Souza e Eduardo Brigagão Verderame) e Pasolini – do Neorrealismo ao Cinema Poesia, do ator, diretor e poeta, Davi Kinski.

Idealizada em 2012 por Filipe Moreau, escritor e compositor, formado em Letras e Arquitetura, pelo jornalista Jayme Serva e pela fotógrafa Miriam Homem de Mello, a Laranja Original surgiu no mercado como editora, mas também acolher projetos nas áreas da música, das artes e da fotografia. Por isso, "seus livros têm figuras, suas músicas têm poesia, suas imagens têm melodia", como afirmam seus editores. Posteriormente, entraram para a equipe a escritora e tradutora Clara Baccarin e Gabriel Mayor, fotógrafo e gestor de projetos culturais.

O ineditismo de novos autores é um dos compromissos da editora, muito embora esse critério não seja um imperativo. Em seu catálogo, a Laranja Original traz autores dedicados inteiramente à poesia, bem como escritores que trabalham com ficção (ou relatos de memórias), estudos de obras e biografias, contos eróticos, entre outros gêneros.

Além da qualidade editorial mantida por sua equipe, a Laranja Original conta ainda com a colaboração de artistas renomados que garantem a excelência gráfica de seus livros impressos.

Editores:

Filipe Moreau: É autor de livros diversos como “História da rainha e do gato” e “A flor lilás” - poesia. Apresenta-se a públicos em espaços variados da cidade, como músico, letrista, autor de poemas e ilustrações, além de trabalhar como editor no grupo.

Miriam Homem de Mello: Paulistana, fez Letras Clássicas na USP e Filosofia na PUC. Trabalhou com redação e design antes de dedicar-se à fotografia, suporte para seu trabalho como artista visual.

Jayme Serva: É assessor parlamentar e foi colaborador de diversos veículos de comunicação, como o jornal Folha de S.Paulo e as revistas Morar (editada pela Folha) e Brasileiros.

Clara Baccarin: Mestre em Estudos Literários (UNESP). Trabalhou como professora e tradutora antes de poder se dedicar principalmente à literatura. Publicou o romance “Castelos Tropicais” (2015) e o livro de poemas “Instruções para Lavar a Alma”. Escreve para blogs e revistas online. 

Gabriel Mayor: É turismólogo de profissão, especializado em gestão de projetos culturais. Dedica seu tempo à produção de livros, e-books, documentários e exposições, expressando pela fotografia a sua visão de mundo.

Lançamentos: 

de  A a Z, Eróticas
Dia 29 de agosto, segunda-feira, das 18h às 22 h, na 24ª Bienal Internacional do Livro, no estande da editora Laranja Original – M 87
 Autora: Sheila Hafez
Projeto gráfico: Luiz Basile
Ilustrações: Caio Borges
Preço de Capa: R$ 40,00
Peso: 300 gramas
Largura: 16 cm
Altura: 23 cm
Espessura: 1 cm
Número de páginas: 136
ISBN: 978-85-92875-00-8

Com personagens que vão de A a Z, Sheila Hafez trabalha sua literatura erótica de modo bastante engenhoso e pessoal. Projeta-se no livro em 26 mulheres fogosas e capazes de proporcionar uma leitura das mais saborosas. A autora mostra que sabe conciliar sua vida afetiva e profissional (de mãe, avó, educadora e empresária) com as mais variadas fantasias, que só a ficção consegue explorar.

De A a Z, eróticas, além de divertir, ensina muito sobre a sensualidade feminina. A ousadia é uma marca pessoal de Sheila, que nos faz “experimentar com todos os sentidos à flor da pele as reações químico-erótico-poéticas da sexualidade da mulher”.

SHEILA HAFEZ, educadora e empresária, trilhou larga carreira no mundo feminino. Formada em Filha, com pós-graduação em Avó, fez estágio como Irmã e Amiga antes de consagrar-se Esposa e Mãe. Durante sua trajetória, desenvolveu um delicioso ponto de vista de Amante, sob o qual reinventa-se agora em 26 fogosas mulheres.
De A a Z, eróticas, seu livro de estreia, pontua com letras maiúsculas a divertida e ousada viagem à sexualidade feminina.



Vinagre
Reunião de poemas inéditos de Alexandre Barbosa de Souza será lançada na quinta-feira, dia 01 de setembro, quinta-feira, das 18h às 22h, na 24ª Bienal Internacional do Livro, no estande da editora Laranja Original, / M 87
 Autor: Alexandre Barbosa de Souza
Ilustrações: Rafael Campos Rocha
Projeto gráfico: Luciana Facchini
Preço de Capa: R$ 30,00
Peso: 100 gramas
Largura: 13 cm
Altura: 18 cm
Espessura: 0,6 cm
Número de páginas: 64
ISBN: 978-85-92875-02-2
Nova reunião de poemas inéditos, e alguns publicados avulsos ou em edições independentes, de Alexandre Barbosa de Souza, autor de Livro Geral (Companhia das Letras, 2013), ilustrados por Rafael Campos Rocha.

Nascido em São Paulo (1972), Alexandre Barbosa de Souza é editor (34, Cosac Naify, Hedra, Biblioteca Azul,Azougue, Ácaro, Cachalote), tradutor (Melville, Mansfield, Austen, Carroll, Kipling, Cheever, Burroughs, Kerouac, Munro, Patti Smith, Leonard Cohen, Prévert, Jodorowsky etc.), publicou Livro de Poemas (1992), Viagem a Cuba (1999), Azul escuro (2003), XXX (2004) e 11 + 1 poemas (2012), reunidos no Livro geral (Companhia das Letras, 2013); Edifício Beatriz (2010), Doze carimbos (2014), reunidos em Vinagre (2016). Autor de Autobiografia de um super-herói (2001), Nós (2014) e Dix e Bisteca, poemas com colagens de Rita Vidal (Companhia das Letrinhas, 2013). É pai do Max Blas (2010).

Rafael Campos Rocha                    
Nascido em São Paulo (1970) trabalhou como artista plástico e professor de História da Arte até 2010, quando se voltou para as artes gráficas. Desde então, cria ilustrações e tiras para o jornal Folha de S. Paulo e outros. Publicou diversos livros, entre romances e graphic novels, como Lobas (Veneta) e Deus, essa gostosa (Companhia das Letras).


Pasolini, do neorrealismo ao cinema poesia
Prefácio de Franthiesco Ballerini, escritor, crítico e professor de cinema
Dia 03 de setembro na Bienal, sábado, das 18 às 22h, no estande M 87, da Laranja Original
Captura de Tela 2016-08-11 às 17.04.28.png
Autor: Davi Kinski
Projeto gráfico: Marina Oruê
Ilustrações: Marcos Garuti
Preço de Capa: R$ 35,00
Peso: 300 gramas
Largura: 13 cm
Altura: 18 cm
Espessura: 1,2 cm
Número de páginas: 128
ISBN: 978-85-92875-0-15

Pier Paolo Pasolini (1922-1975), um dos principais cineastas italianos de todos os tempos, poeta, dramaturgo, teórico da arte e da literatura, dizia que "barbárie" era a palavra que mais amava. Não à toa, pois a palavra rima com os tempos modernos, de ideias rasas e linguagem também superficial. O estudo da obra desse fundamental e visceral poeta e cineasta é imprescindível. Afinal, vivemos em constante estado de espanto, tempos apáticos, midiáticos e de ideologias duvidosas.
Questionador e intelectual, Pasolini nos evoca questões extremamente contemporâneas mesmo quarenta anos depois de sua morte. Percorrendo vida e obra de uma das personagens mais controversas e polêmicas da história do cinema, o livro pretende servir de introdução ao rico universo intelectual do cineasta, poeta, semiólogo e escritor italiano.
"Pasolini, do Neorrealismo ao Cinema Poesia" pretende provocar questionamentos essenciais para a formação de um cidadão ativo e participante de sua identidade e formação cultural – inquietações que nosso poeta já semeava no movimento neorrealista italiano, uma constante busca da linguagem cinematográfica inventiva e sem concessões, abrindo assim espaço para o surgimento do cinema autoral, seu Cinema Poesia.


Davi Kinski escreve poesia desde os 15 anos. Nascido em São Paulo, já conta com uma vasta produção artística nos seus 28 anos recém completos. Ele nasceu em 14 de agosto de 1988. Logo ali. Tão menino e tão vasto em trajetória no teatro e cinema. Formou-se como ator pela Actor School Brazil e em cinema pela Academia Internacional de Cinema. Já dirigiu sete curta-metragens, dentre eles Cineminha, de quem também é responsável pelo roteiro, protagonizado pelas atrizes Etty Fraser e Caty Stwart. É autor do livro de poesia, Corpo Partido (Editora Patuá -2014), que já foi traduzido para o francês. Recebeu indicação para Melhor Ator, no Festival de Gramado em 2008, em sua atuação no filme Nome Próprio, de Murilo Salles e no teatro, encenou Aurora da Minha Vida, Lisístrata, Bailei Na Curva e O Grande Jardim das Delícias de Fernando Arrabal. Em 2011 estreou em seu primeiro monólogo “Lixo e Purpurina”, baseado em textos de Caio Fernando Abreu, cumprindo uma temporada de sucesso no SESC Pompeia.

Mas ser ator, diretor de cinema, escritor e poeta não bastava. Era preciso abrir caminhos poéticos, possibilidades de deleite e encantamento, uma comunicação entre as pessoas e a poesia que há por aí. Por isso, esse paulistano nascido em 14 de agosto de 1988, criou o projeto Poemaria, que é uma série de ações que colocam em evidência a poesia e a palavra, em sua essência transformadora e atuante. Se o poeta é alguém que vê as coisas pelo avesso, ou vê as coisas como ninguém mais vê, para o idealizador e realizador do projeto Poemaria era preciso também que a poesia circulasse entre as pessoas e que fosse algo quase palpável.


Pré-Lançamento
Caça ao Esnarque
 Autor: Lewis Carroll
Tradutor: Alexandre Barbosa de Souza e Eduardo Brigagão Verderame
Projeto gráfico: Ana Caruso e Arthur Vergani
Ilustrações: Gosia Bartosik
Preço de Capa: R$ 30,00
Peso: 150 gramas
Largura: 13 cm
Altura: 18 cm
Espessura: 0,8 cm
Número de páginas: 96
ISBN: 978-85-92875-03-09

Publicado originalmente em 1876, na Inglaterra, este pequeno livro é um épico do nonsense. Trata-se de um longo poema escrito por Lewis Carroll com alguns dos mesmos personagens do poema Jabberwocky, citado em "Alice através do espelho". Dez personagens viajam em busca de um ser imaginário, o Esnarque, entre eles um Castor, um Banqueiro e um Padeiro.

Traduzido ao longo de dez anos pelos mesmos tradutores de "A bicicleta epiplética", de Edward Gorey, a edição brasileira da editora Laranja Original publica a obra com Ilustrações da artista plástica polonesa Gosia Bartosik e tem projeto gráfico assinado por Ana Caruso e Arthur Vergani.

Alexandre Barbosa de Souza: Nasceu em São Paulo, em 1972. É autor de Livro de Poemas (1992), Viagem a Cuba (1999), Azul escuro (2003), XXX (2004) e 11 + 1 poemas (2012), reunidos no Livro geral (Companhia das Letras, 2013); Edifício Beatriz (2010), Doze carimbos (2014), reunidos em Vinagre (2016). Autor de Autobiografia de um super-herói (2001), Nós (2014) e Dix e Bisteca, poemas com colagens de Rita Vidal (Companhia das Letrinhas, 2013).Trabalhou como editor na Cosac Naify, Hedra, Biblioteca Azul, Azougue, Ácaro, Cachalote e editora 34 e é tradutor de obras do inglês, francês e espanhol.


Serviço: 24ª Bienal Internacional do Livro
De 26 DE AGOSTO A 4 DE SETEMBRO | 2016
Segunda à Sexta: 9h às 22h 
Sábado e Domingo: 10h às 22h 
Dia 04/09 das 10h às 21h

Fonte: Assessoria de Imprensa Ofício das Letras

Siga-me por Email