IRMÃOS
Uma história do PCC

cid:64F2F191-8D50-4D4D-B429-41C37EC7937A

O livro que vai mudar completamente o que você sabe sobre a lógica do PCC.

Baseado em extensa pesquisa de campo na periferia de São Paulo, Irmãos traz a mais original e elucidativa interpretação sobre a facção que vem desafiando o Brasil.

“Uma etnografia pioneira que traz uma compreensão original da violência no Brasil.”
            Mitchell Duneier

“Excelente e indispensável o novo livro de Gabriel Feltran”
Michel Misse

O Primeiro Comando da Capital nasceu na cadeia, um ano depois do Massacre do Carandiru. Legitimou sua autoridade no cárcere ao aplicar políticas de interdição do estupro, do homicídio considerado injusto e do uso de crack. Ao longo dos anos, a guerra contra os “coisa” — como são chamados policiais, facções rivais, estupradores e alcaguetas — se tornou a contraface da “paz entre os ladrões”, premissa que impulsionou a expansão do PCC via regulação econômica de mercados ilegais e reivindicação do monopólio da força e da justiça no crime.

Em Irmãos, o sociólogo Gabriel Feltran oferece uma interpretação alternativa àquelas que buscam comparar o PCC com outras organizações criminosas — como os comandos cariocas, as gangues prisionais americanas ou as máfias italianas. Tendo realizado extensa etnografia nas periferias de São Paulo, seu argumento é que o modo de organização do PCC se assemelha às irmandades secretas, funcionando como uma maçonaria do crime — uma rede de apoio mútuo, pautada pelo respeito aos negócios e pela honra do outro irmão.

Feltran percorre os momentos cruciais da história do Comando desde sua criação em Taubaté até as violentas disputas entre facções a partir de 2017. Ele também retrata a presença do PCC nas dinâmicas locais, bem como o impacto das ações do comando em dimensões legais e ilegais de mercados como o de veículos roubados, que movimenta anualmente dezenas de bilhões de reais.

Original e contundente, Irmãos apresenta um país em que o crime conquistou efetiva hegemonia política para parte significativa da população. Nele, o PCC emerge como uma instância de geração de renda, de acesso à proteção, de ordenamento social, de pertencimento e identificação, desafiando o projeto de uma comunidade nacional integrada, promessa que a redemocratização não logrou entregar.

GABRIEL FELTRAN é professor do departamento de sociologia da UFSCar e diretor científico do Centro de Estudos da Metrópole (CEM). Publicou Fronteiras de tensão e é coautor de Novas faces da vida nas ruas, finalista do prêmio Jabuti de 2017. Foi professor visitante na Humboldt-Universität (Alemanha), no CIESAS Golfo (México) e na Sciences Po (França).

Ficha Técnica: 
Páginas: 408
Tiragem: 5 mil
Preço: R$ 49,90
e-book: R$ 29,90
Lançamento: 13/08/2018


Fonte: assessoria de imprensa

Siga-me por Email