"Amigas que se encontraram na história"

é o mais novo lançamento da Quintal Edições

Livro Amigas que se encontraram na história - capa

Publicação infantojuvenil de Angélica Kalil e Mariamma Fonseca fala da amizade 

de grandes mulheres que mudaram o mundo

A editora mineira Quintal Edições faz sua estreia no segmento infantojuvenil com o livro ilustrado “Amigas que se encontraram na história”, de Angélica Kalil e Mariamma Fonseca. A publicação fala da amizade de grandes mulheres que mudaram o mundo, como Elisabeth I e Grace O’Malley, Frida Kahlo e Chavela Vargas, Nise da Silveira e Ivone Lara, Ella Fitzgerald e Marilyn Monroe, Emma Watson e Malala Yousafzai, entre outras.

O livro apresenta, de forma lúdica e delicada, a amizade entre mulheres que se destacaram na humanidade em diferentes tempos. A proposta é inspirar leitoras e leitores de todas as idades e mostrar o poder de transformação da amizade entre mulheres.

Amigas que se encontraram na história” dá visibilidade a essas histórias e mostra como as mulheres retratadas no livro conseguiram romper com o que a sociedade esperava delas. E destaca que, embora culturalmente tenhamos aprendido que a amizade entre mulheres é fútil, mal vista e que as mulheres se rivalizam, a verdade é que o resultado da união feminina é de uma potência enorme e foi capaz de coisas incríveis!

Ao revelar esse vínculo de afeto desconhecido pela maior parte do público e o legado que estas relações deixaram para o mundo, a publicação joga luz na cumplicidade feminina, redimensionando a importância do apoio das mulheres umas às outras. Desta forma, também amplia o conceito de sororidade tão presente e importante para as meninas de hoje.

O livro ilustrado “Amigas que se encontraram na história” é todo colorido, com formato 17 x 21,5cm, capa em brochura, interior em offset 90gr e 180 páginas. A publicação pode ser adquirida por R$60,00 na loja on-line da Quintal Edições pelo link http://loja.quintaledicoes.com.br/.

O prefácio é de Diana Corso - psicanalista, psicóloga, colunista do jornal Zero Hora e da revista Vida Simples, e autora dos livros “Fadas no Divã: psicanálise nas histórias infantis” (2005), “Psicanálise na Terra do Nunca: ensaios sobre a fantasia” (2010) e “Adolescência em cartaz” (2017).

A pesquisa e o texto contaram com a consultoria da socióloga Giselle Christina, feminista negra interseccional, consultora em diversidade e inclusão e entusiasta em Data Science. São 18 personagens históricas, mulheres negras, indígenas, orientais, latinas, brancas e uma asiática de diferentes idades, países e épocas, entre elas uma cadeirante e uma surda.

Você sabia que elas eram amigas?

O resultado da união feminina é de uma potência incrível e foi capaz, por exemplo, de finalmente revelar à humanidade do que são feitas as estrelas, como nos mostra a história de Annie e Cecília. Assim como elas, Ivone e Nise também revolucionaram uma área científica, neste caso, o tratamento da saúde mental. Sobre estas amizades, encontramos várias informações dispersas que fomos juntando como um quebra-cabeça.

Bem diferente do que aconteceu com a única dupla de mulheres indígenas apresentadas no livro. A busca por Bartolina e Gregória expõe diversas camadas de apagamento e foi preciso usar nossa imaginação e intuição para completar as lacunas históricas. Mesma coisa com as chinesas Qiu e Xu que, assim como as aimaras, pagaram um preço altíssimo por não aceitarem o lugar destinado ao seu gênero.

A importância política da conexão entre mulheres está especialmente presente nos capítulos de Elizabeth e Grace, Mae e Nichelle e Emma e Malala. Nestas três duplas se nota também uma grande admiração mútua, sentimento que todas nós sabemos muito bem identificar.

Quase ninguém sabe. Nem mesmo as duplas mais famosas, Frida e Chavela e Ella e Marylin, têm histórias de amizade conhecidas do público em geral. E foram relações de muita importância e acolhimento dentro de suas biografias.

Processo criativo

Angélica Kalil e Mariamma Fonseca falam sobre o processo criativo de criação de “Amigas que se encontraram na história”:

Durante quase dois anos nos debruçamos sobre livros, filmes, séries, fotografias, pinturas, músicas, reportagens. Era como se tivéssemos uma lanterna jogando luz em pequenos trechos de uma floresta escura. Ao encontrar um pedaço de história, íamos juntando com outros até formar a narrativa do livro.

A pesquisa para a escrita se misturou com a das imagens e técnicas de ilustração. E depois de vários testes, um traço manual, feito com guache e lápis de cor, foi o que melhor se encaixou nas nossas personagens. Cada capítulo tem uma paleta de cores própria, pensada para ambientar o tempo e o espaço de cada dupla. Os desenhos de apoio acabaram ganhando mais importância do que previmos ao ambientarem o mundo exterior e interior das amigas.

Para ilustrar as mulheres que viveram há mais tempo, usamos como referência pinturas e filmes de época. Nas mais recentes, as fotos foram grandes guias, mesmo que o desafio fosse dar uma nova interpretação a ícones do século XX. E como acontece quando trabalhamos juntas, o limite entre texto e ilustração é difícil de definir, pois o a criação acontece realmente na parceria. Uma autoria que se dá entre duas mulheres amigas que enxergam o mundo de forma parecida.

Delícia viver este processo. Da nossa amizade, tiramos potência para iluminar a amizade de outras mulheres. Foi uma honra.

As autoras

Mariamma Fonseca (Amma) nasceu em Eunápolis-BA e vive em Belo Horizonte-MG. É formada em Jornalismo, Artes Visuais e atualmente estuda Design Gráfico. Idealizou o site Lady’s Comics (2010) sobre Mulheres e Quadrinhos e coordena uma gibiteca (desde 2009) em sua cidade natal. É mãe da Iara, trabalha como ilustradora freelancer e nas horas vagas se dedica a estudar o livro para infância.

Angélica Kalil é roteirista e editora, trabalhou em produções da TV Cultura, Canal Futura, Sesc e Univesptv. Jornalista com pós-graduação em roteiro para cinema e televisão pela Universidade Autônoma de Barcelona. É mãe da Tarsila e diretora do canal no youtube “Você é feminista e não sabe”, onde faz entrevistas sobre o tema a partir de diferentes recortes.

“Amigas que se encontraram na história” é o mais novo trabalho de autoria das amigas Mariamma e Angélica. O primeiro foi livro “Você é feminista e não sabe”, com entrevistas ilustradas, lançado de forma independente por meio de financiamento coletivo em 2017.

Quintal Edições

A Quintal Edições nasceu com um objetivo: criar espaço para que as mulheres possam encontrar seu lugar como autoras. E não é sem motivo que nos dedicamos a esta proposta. Ainda que, nos últimos anos, as mulheres venham recebendo – de maneira ainda lenta, mas crescente – maior atenção dentro do mercado literário, o espaço da mulher escritora ainda é restrito, enquanto os homens continuam sendo maioria incontestável.

Publicar mulheres, dessa forma, faz parte da tomada de consciência de que a resistência e a luta têm que ser ativas. Criar espaço para as mulheres é dar lugar a suas vozes. Não estamos procurando ocupar um ambiente que já existe e que nos foi negado; estamos tentando formular um lugar que seja realmente nosso, buscando desenhar um espaço em que a nossa condição de mulher não tenha que se adaptar, porque ela simplesmente cabe.

A Quintal é uma editora que só publica mulheres e que também só trabalha com mulheres em todas as etapas de produção. Com um catálogo que se iniciou focado em literatura tem se destacado também com publicações de ensaios feministas e obras de estudos acadêmicos. NÓS ACREDITAMOS NA ESCRITA DAS MULHERES!

__________

Serviço

Livro ilustrado “Amigas que se encontraram na história”

Valor: R$60,00

Disponível na loja virtual da Quintal Edições - http://loja.quintaledicoes.com.br/



Fonte: assessoria de imprensa 

Siga-me por Email