Os Desafios do Futuro da Economia



Leitura obrigatória para todos aqueles que desejam saber mais sobre as grandes tendências da economia global, o livro Os desafios do futuro da economia, lançado no Brasil pela editora Campus/Elsevier, é escrito pelo Prêmio Nobel de Economia, Michael Spence. A obra abrange o terceiro século da Revolução Industrial e descreve o que está em jogo diante das previsões de crescimento para os próximos 50 anos.

Os países em desenvolvimento têm cada vez mais se tornado importantes condutores do crescimento da economia mundial, trazendo a perspectiva de um novo panorama, no qual a distância tradicional no padrão de vida dos países desenvolvidos tende a desaparecer.

Os desafios do futuro da economia desperta diversos debates sobre as formas de avanço no período pós-crise, diante dos interesses econômicos nacionais e internacionais. Trata-se de uma análise clara e sucinta das forças dos bastidores desse processo fascinante, de fácil compreensão, e que aborda primorosamente a complexidade dos assuntos envolvidos.

Qual foi a característica que permitiu que um adicional equivalente a 60% da população mundial começasse o processo de se juntar ao mundo mais rico, ou de estar a caminho disso? Como é possível atingir taxas de crescimento anual próximas a 10% quando o pico anterior havia sido provavelmente de 3%? Quanto tempo leva para um país pobre completar integralmente a transição para o status de país avançado? Existe um limite de velocidade? Existe algo de errado com os países avançados se não conseguirem crescer nessas novas taxas elevadas? O que impulsiona ou provoca o crescimento nos países avançados? Como puderam persistir diferenciais de renda da ordem de 20 a 40 vezes por períodos de tempo de tão longe? O meio ambiente conseguirá suportar um aumento de quatro vezes nas fileiras dos relativamente mais ricos? Conseguiremos produzir comida e energia suficientes para fazer frente a esse tipo de crescimento? A gestão e a governança da economia global que estiveram presentes nos últimos 25 anos funcionarão no futuro ou precisarão de mudanças fundamentais? Essas e muitas outras questões são debatidas no livro.

O crescimento do mundo em desenvolvimento tornou as principais economias emergentes importantes em termos sistêmicos. Suas escolhas e caminhos produzem efeitos fundamentais umas nas outras e nos países avançados. Isso é novo. São funções do crescimento o aumento do tamanho e, de forma significativa o aumento dos principais países em desenvolvimento”, diz o autor.

Michael Spence organizou a narrativa em quatro partes. A parte I trata das características em rápida mudança da economia global do pós-guerra. Ela apresenta, na verdade, um retrato da economia global e de como ela chegou naquela situação nos últimos 50 anos.

 A parte II é dedicada ao elevado crescimento sustentável e à redução da pobreza no mundo em desenvolvimento: onde ocorre, como ocorre e onde não ocorre, com a análise dos motivos para um crescimento menor nas regiões mais atrasadas.

 A terceira, se volta para os impactos em curto e longo prazos da crise econômica e financeira global que tomou conta do mundo a partir de 2008. Já a última parte foca o futuro e um conjunto de questões, forças e tendências que possam ter implicações com o fato de ser sustentável ou não esse padrão de propagação de elevado crescimento.                                                       


Fonte: assessoria de imprensa Activa Comunicação

Siga-me por Email